Continua após publicidade

Prefeitura suspende contrato da ciclofaixa de lazer

Empresa que assumiu o serviço apresentou falhas; administração municipal corre contra o tempo para fazer contrato emergencial

Por Clayton Freitas
19 out 2022, 13h07

A Prefeitura de São Paulo decidiu suspender, por 30 dias, o contrato com a empresa responsável por montar as ciclofaixas de lazer pela capital, segundo publicação do “Diário Oficial da Cidade” desta quarta-feira (19). A Coranda TV e Publicidade assumiu o serviço no dia 28 de agosto e teria cometido, segundo a prefeitura, irregularidades na execução do termo de cooperação.

+Prefeito de Sorocaba quer apoio do Congresso para vetar Marcha da Maconha no país

Montadas em cerca de 110 km de vias da capital, as ciclofaixas de lazer operam as 7h às 16h, aos domingos.

Segundo revelou reportagem da Vejinha no dia 10 de agosto, apesar de ser um projeto existente há treze anos na capital e que reúne todos os domingos cerca de 100 000 ciclistas, a prefeitura encontrava dificuldades para conseguir um patrocinador após a saída da Uber, que não renovou o contrato.

Continua após a publicidade

Além de ser uma empresa desconhecida no mercado da bicicleta, as condições em que a Coranda foi habilitada também suscitaram dúvidas. Uma publicação especializada, o Jornal da Bicicleta, revelou que, ao assumir o serviço, a Coranda alegava possuir capital de 100 mil reais, valor inferior ao necessário para ofertar o combinado no termo em apenas um domingo.

+Helicóptero cai na Zona Sul e deixa dois feridos

O contrato prevê que a empresa fique responsável por montar a estrutura e também monitorar o passeio dos ciclistas. Para isso, remunera os operadores, o que não aconteceu e acabou virando alvo de protestos de muitos deles. Nos dias 12 e 16 e outubro, apenas cones e cavaletes foram instalados e alguns trechos não chegaram a ser sinalizados.

Continua após a publicidade

Em nota, a Secretaria Municipal de Mobilidade e Trânsito informou que o prazo de 30 dias foi dado para apuração das irregularidades contratuais, sem detalhar quais seriam os problemas. “A empresa ainda tem o prazo por contrato para a apresentação de suas justificativas. A suspensão não é a rescisão contratual”, informa a nota.

A reportagem perguntou se caberia alguma punição pelo descumprimento do serviço, o que não foi respondido pela administração municipal. Questionada,a prefeitura não informou se a ciclofaixa de lazer será ou não montada no próximo domingo (23). “A SMT trabalha pela elaboração de um contrato emergencial para implantação da ciclofaixa de lazer no próximo domingo”, informa a nota.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de 49,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.