Clique e assine por apenas 5,90/mês

Prefeitura suspende ciclofaixas de lazer em São Paulo

Serviços estão temporariamente suspensos a partir de domingo (1); prefeitura busca novo patrocinador após cancelamento de contrato

Por Redação VEJA São Paulo - 31 ago 2019, 13h16

A prefeitura de São Paulo suspendeu nesta sexta-feira (30) as ciclofaixas de lazer espalhadas pela cidade.

A decisão é temporária e se deve, de acordo com a Secretaria de Mobilidade Urbana e Transportes, ao fato de que a empresa Bradesco Seguros, quem realizava os serviços, ter encerrado a parceria com a administração municipal.

Em nota, a secretaria informou que já busca um novo patrocinador. “No dia 26 de agosto, a Secretaria de Mobilidade e Transportes abriu processo para contratação emergencial do serviço”, comunica no texto. “No entanto, as propostas apresentadas não atendem aos requisitos legais e não garantem a segurança dos ciclistas”.

A suspensão deve durar até o momento em que a prefeitura contratar uma nova empresa. Não há previsão de quando isso deve acontecer.

A partir deste domingo (1) não haverá ciclofaixas de lazer na capital.

As ciclofaixas foram implantadas em 2009, inicialmente no Parque Ibirapuera. Depois disso, expandiram-se aos atuais 117 quilômetros de extensão, divididos em nove trechos.

Continua após a publicidade
Publicidade