Clique e assine por apenas 6,90/mês

Polícia prende empresária suspeita de ser ‘primeira-dama’ do PCC

Talitta Buzaif Martorano, de 27 anos, era procurada desde junho pelo sequestro de uma empregada doméstica em um "tribunal do crime"

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 24 jul 2017, 21h58 - Publicado em 24 jul 2017, 21h54

A Polícia Civil prendeu uma empresária apontada como uma das líderes do PCC em São Paulo. A prisão aconteceu no início da noite deste domingo (23) em Cangaíba, Zona Leste da capital. Talitta Buzaif Martorano, de 27 anos, era procurada pelo sequestro de uma empregada doméstica e é considerada ‘primeira-dama’ da facção.

Ela foi capturada em uma lanchonete de um hipermercado, na Marginal do Tietê, enquanto esperava para comprar um lanche. Segundo informações da Secretaria da Segurança Pública (SSP), a prisão foi efetuada por agentes da 6ª Delegacia da Divisão de Crimes contra o Patrimônio do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic). 

Talitta era procurada desde o fim de junho, quando os policiais resgataram a empregada doméstica de um cativeiro que seria parte de um “tribunal do crime”. Foram presos dois homens e duas mulheres na ocasião, mas a acusada conseguiu escapar por uma rota de fuga já planejada nos fundos da casa.

Ela responderá criminalmente pelo sequestro e estará sob investigação sobre o real envolvimento com a facção.

Continua após a publicidade
Publicidade