Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Mônica Martelli chora ao falar de Paulo Gustavo: ‘Existe responsável’

Amiga próxima do humorista, atriz se mostrou indignada com a falta de vacinas contra a Covid-19 no Brasil

Por Redação VEJA São Paulo 13 Maio 2021, 10h11

Mônica Martelli, amiga próxima de Paulo Gustavo, se emocionou ao falar da morte do humorista durante o programa Saia Justa, no GNT. Ela retornou à atração após um período de férias e fez um desabafo sobre a lentidão da vacinação contra a Covid-19 no Brasil. 

“Todo mundo que amava o Paulo Gustavo tem que se perguntar: Por que que no Brasil não temos vacina suficiente? A gente tem que se perguntar. Não foi uma fatalidade. Ele era um homem saudável, sem nenhuma comorbidade. Existe responsável para isso (…) Eu fico indignada, mas o que eu sinto mais forte é perplexidade”, disse ela. 

“Na hora que fiz aquela placa, apenas duas doses de uma vacina que já existe, eu tava indignada e eu peguei a jaqueta do Paulo Gustavo em homenagem a ele (…) Aí lembrei de uma história e comecei a rir (…) Aí você vai pra dor. Aí você volta pra indignação. Mas eu acho que é muito importante a gente dizer que esse luto que a gente tá vivendo, que não é só meu, é de um país, ele tem uma palavra de ordem: duas doses de uma vacina que já existe. Meu amor, podia ter te salvado e salvado muitas vidas. Isso aí vai ser um marco, de de luta no luto, por Paulo Gustavo”, continuou Martelli.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade