Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Hospital da Clínicas terá prédio exclusivo para pacientes com coronavírus

O complexo na capital paulista abrigará 900 leitos de UTI para o tratamento de pessoas infectadas

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 23 mar 2020, 18h57 - Publicado em 23 mar 2020, 18h53

O governador João Doria anunciou durante coletiva de imprensa nesta segunda-feira (23) que o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP terá uma área exclusiva para o tratamento de pacientes com Covid-19. Trata-se do Instituto Central, localizado na Zona Oeste da cidade. Com os 900 novos leitos, segundo Doria, o Estado de São Paulo passa a ter 2 300 leitos de UTI exclusivamente destinados ao tratamento de dessoas com o coronavírus.

A previsão é que até sexta (27) 200 leitos estejam liberados para a ação; os 700 restantes, deverão ser entregues até 10 de abril. Os cerca de 400 pacientes que encontram-se no Instituto serão transferidos para outras instalações do hospital. “Pacientes com outros problemas, como vítimas de AVC, infartes e câncer entre outras, ficarão mais protegidos do risco de contágio por ficarem em prédios sem os pacientes com a Covid-19. O mesmo ocorre com os profissionais de saúde que atenderão nos outros institutos”, diz comunicado.

Quem suspeita que pode estar com o vírus, no entanto, não deve procurar a instituição diretamente. Em caso de necessidade, é preciso ir até uma unidade básica de saúde primeiro. O prédio será uma unidade de alta complexidade e caberá à Secretaria de Estado de Saúde definir quais casos devem ser encaminhados para o hospital.

  • Publicidade