Clique e assine por apenas 6,90/mês

Livro reúne histórias sobre pontos de São Paulo com passados difíceis

A obra divide os endereços em nove categorias, como “invisibilidade”, que mostra lugares destruídos

Por Rafaela Bonilla - Atualizado em 6 dez 2019, 14h25 - Publicado em 6 dez 2019, 06h00

A partir de um trabalho proposto em sala de aula na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP, surgiu o recém-publicado Guia dos Lugares Difíceis de São Paulo, da Annablume Editora (216 págs., 60 reais). O livro, organizado pelo professor Renato Cymbalista, pretende relembrar histórias de 143 pontos da metrópole e arredores que enfrentaram algum tipo de dificuldade. “Não se trata de um guia belo, retratamos aquilo que é tenso e contraditório”, afirma Cymbalista.

São nove categorias, como “invisibilidade”, que mostra lugares destruídos. É o caso da Mansão Matarazzo, construída em 1896 na Avenida Paulista, que, após disputas sobre seu tombamento, acabou demolida em 1996. Desde 2015, o terreno do antigo casarão de dezenove quartos e dezesseis salas sedia o Shopping Cidade São Paulo. Nessa mesma categoria, aparece a ponte fantasma do Morumbi, construída nos anos 40 sobre o Rio Pinheiros. Mudanças como a criação da Marginal inutilizaram a passagem nos anos 90.

O título também aborda endereços de resistência, entre eles o Bar do Zé Batidão, no Jardim Guarujá, cujo entorno era conhecido como triângulo da morte nos anos 90. O local virou ponto de cultura periférica, com saraus, filmes e rodas de samba.

Publicado em VEJA SÃO PAULO de 11 de dezembro de 2019, edição nº 2664.

Continua após a publicidade
Publicidade