Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Governo de São Paulo lança programa para entregadores de apps

João Doria diz que o objetivo é aumentar a capacitação, facilitar compra de motos e ajudar com regularização de documentos

Por Redação VEJA São Paulo 21 set 2020, 15h07

O governo de São Paulo lançou nesta segunda-feira (21) o programa Motofretista Seguro. A iniciativa do Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran.SP) oferece crédito, facilidades de financiamento e formação para profissionais desta categoria. Segundo o órgão, o pacote de medidas busca dar oportunidade de regularização da documentação necessária para o exercício mais seguro da profissão. O financiamento será feito com recursos de multas aplicadas pelo Detran.SP. 

O programa prevê benefícios para compra de itens de segurança e EPIs (Equipamentos de Proteção Individual). Na primeira etapa do programa, o investimento do departamento será de R$ 5 milhões. 

De acordo com o governador de São Paulo, João Doria, em coletiva no Palácio dos Bandeirantes, houve um aumento do número de acidentes e de vítimas fatais com o aumento de entregas durante o período de isolamento social pela pandemia da Covid-19. Entre janeiro e agosto de 2019, foram registrados cerca de 19 acidentes por dia entre motociclistas. No mesmo período deste ano, a média diária aumentou para 40. Segundo pesquisa da Rede Lucy Montoro, 57% das vítimas de trânsito com sequelas são motociclistas. O total de acidentes com motos é quatro vezes superior ao de carros.

Outra medida será “adequar os motofretistas para exercício da atividade com regularização de documentos, cursos de formação e atualização, oportunidades de práticas de aperfeiçoamento e auxílio na obtenção de linhas especiais de crédito para troca de veículo ou compra de novos equipamentos de segurança”.

Como participar

Os motofretistas que precisam regularizar a situação da CNH devem se inscrever no site www.motofretistaseguro.sp.gov.br e ingressar no curso de formação desenvolvido pelo Detran.SP. De acordo com nota do governo, também é preciso cumprir alguns requisitos, como idade mínima de 21 anos, ter CNH e exercer atividade remunerada. 

+Assine a Vejinha a partir de 6,90 

  • Continua após a publicidade
    Publicidade