Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Relembre a carreira meteórica do cantor Gabriel Diniz

Em 9 meses, o artista lançou hit 'Jenifer' e ultrapassou os 125 000 reais de cachê. Em entrevista em janeiro, cantor revelou detalhes do início da carreira

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 27 Maio 2019, 15h47 - Publicado em 27 Maio 2019, 15h31

Dono da voz de um dos hit´s do último carnaval, Gabriel Diniz está entre as vítimas fatais de um acidente de avião que ocorreu hoje (27), na região do município de Estância, no sul de Sergipe. A assessoria de imprensa do cantor confirmou sua morte por volta das 15h. O maior sucesso da carreira do artista, a canção Jenifer, soma mais de 200 milhões de visualizações no seu clipe no Youtube. A música rendeu ao cantor uma ascensão meteórica na carreira. Em menos de nove meses, viu seus cachês atingirem a casa de 125 000 reais por show e vinte apresentações por mês.

Em entrevista a VEJA SÃO PAULO em janeiro, Diniz contou sobre sua trajetória. Natural de Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul, o interesse do rapaz pela música começou aos 13 anos. “Pedi um violão de presente, no tempo das revistinhas sobre o assunto, e fui devagarzinho aprendendo”, conta. Aos 15, já tinha uma banda de garagem. A brincadeira não parou, o acompanhando até a faculdade. “Entrei em engenharia elétrica na Universidade Federal de Campina Grande, na Paraíba.”

A carreira na música, contudo, começou a demandar maior atenção, depois que ele decidiu investir em seu projeto solo em 2011. “Parti em busca do meu sonho.” A aposta deu certo. Antes de ganhar sucesso nacional, Diniz já era um nome forte no nordeste. Em 2017 ele lançou o DVD GD na Ilha que conta com participações de artistas como Léo Santana e Maiara & Maraisa. Suas musicas lembram forró e sertanejo. ” Sempre gostei de transitar entre vários ritmos, a identidade é estar sempre misturando, ousar na batida”, contou ele.

Jenifer, lançada em setembro do ano passado, se mostrou um trampolim. “Ela está quebrando barreiras, me dando oportunidade de mostrar meu trabalho pelo Brasil inteiro”, comemorou o cantor na época. O timbre de voz de Diniz lembrava o de outro astro do ramo: Wesley Safadão. “É muito bacana ser comparado com ele, um cara respeitado no país todo”, explicou ele, que mantém uma relação próxima com o “concorrente”. “Sempre trocamos ideias, telefonemas… Temos uma afinidade legal.”

Em janeiro GD, como era conhecido, lançou um álbum ao vivo com nove faixas acústicas, o GD À Vontade. Entre as canções estão Jenifer e outras músicas como Safadezinha. No começo do mês Diniz lançou também uma série de dezoito vídeos no YouTube, “Live Uma Dose com GD”, que conta com covers de canções como Indiferença, de Zezé di Camargo & Luciano, o clássico do sertanejo Evidências, e também músicas autorais.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade