Continua após publicidade

Furto de armas: militares teriam desligado as câmeras e usado carro oficial

Exército encontrou digitais no quadro de energia e na sala de armas

Por Redação VEJA São Paulo Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 26 out 2023, 09h58 - Publicado em 26 out 2023, 09h56

O Exército investiga se um cabo é o responsável por transportar as 21 armas furtadas do Arsenal de Guerra de Barueri, na região metropolitana. O suspeito atuava como motorista de um diretor e teria usado um carro oficial para levar as armas para fora, onde elas seriam negociadas com facções criminosas.

Segundo o g1, é investigado também se o crime aconteceu no dia 7 de setembro, quando a energia elétrica foi cortada intencionalmente, provocando um apagão que desligou as câmeras.

Impressões digitais de militares do quartel foram encontradas nos quadros de energia e na sala de armas, apuraram o g1 e a TV Globo.

Continua após a publicidade

Apesar de ter suas digitais na sala de armas, o motorista militar não tinha autorização para entrar no lugar.

Das 21 metralhadores, 17 foram recuperadas pelas polícias de São Paulo e do Rio de Janeiro.

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Para curtir o melhor de São Paulo!
Receba VEJA e VEJA SP impressas e tenha acesso digital a todos os títulos Abril.
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.