Continua após publicidade

São Paulo: todo o estado regride para fase amarela um dia após eleições

Medida acontece após reeleição de Bruno Covas (PSDB), que afirmou durante campanha que pandemia estava estável na capital

Por Redação VEJA São Paulo Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 27 Maio 2024, 16h57 - Publicado em 30 nov 2020, 12h54

O estado de São Paulo regride para a Fase Amarela do plano de reabertura econômica devido ao aumento de casos de Covid-19. O anúncio foi feito nesta segunda-feira (30), em coletiva no Palácio dos Bandeirantes.

“O governo do estado e o Centro de Contingência do Coronavírus decidiram que 100% do estado vai retornar para a fase amarela do Plano São Paulo. Essa medida não fecha comércio nem bares nem restaurantes. Não fecha atividades econômicas, mas é mais restritiva para evitar aglomerações”, disse João Doria. A programação de volta às aulas não será alterada e as escolas não serão fechadas. 

Seis das 17 regiões do estado estavam na Fase Verde do Plano SP. O centro de contingência para a Covid-19 cogitou regredir apenas as localidades mais críticas, porém, tiveram outro entendimento da situação.

De acordo com o documento do Plano, na Fase Amarela salões de beleza, bares, restaurantes, academias e parques podem continuar abertos, mas com maiores restrições de horário.  

Os estabelecimentos comerciais podem funcionar por 10 horas, duas horas a menos do que na Fase Verde, com capacidade de até 40%. 

Continua após a publicidade

Veja as regras:

  • Capacidade limitada a 40% de ocupação para todos os setores
  • Funcionamento limitado a 10 horas por dia
  • Estabelecimentos podem funcionar até as 22h
  • Proibição de eventos com público em pé

As atividades culturais só eram autorizadas pelo governo a partir da Fase Verde, assim, caso não seja feita uma mudança nos critérios, teatros, museus, bibliotecas e cinemas podem ser forçados a fechar temporariamente.

Um dia após eleições

A medida acontece um dia após as eleições municipais. Prefeito reeleito, Bruno Covas (PSDB) afirmou durante campanha que os números da pandemia na capital estavam estáveis. “Há uma estabilidade da pandemia na cidade de São Paulo”, disse no sábado (28). Nesta segunda (30), em entrevista à Globonews, o tucano disse que em “nenhum momento se pautou pelo calendário eleitoral”. O prefeito também afirmou que “não há espaço para discurso alarmista de que teremos novo lockdown nem de que pandemia acabou”.

João Doria disse em coletiva de imprensa que a volta do estado para a Fase Amarela foi tomada com base em dados e rejeitou qualquer relação com a agenda eleitoral.

Alta no estado

Um levantamento feito pelo Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo (SindHosp) mostrou que 44,74% dos hospitais privados do estado tiveram aumento das internações de pacientes com o novo coronavírus nas primeiras semanas de novembro. Os dados também mostram que 46,06% registraram aumento no número de diagnósticos da Covid-19 neste mesmo período.

Continua após a publicidade

+Assine a Vejinha a partir de 5,90

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de 49,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.