Clique e assine por apenas 6,90/mês

“Gás de geladeira” é inalado para dar barato em festas

Especialistas ouvidos pela reportagem falam dos efeitos provocados pela substância

Por Ricardo Chapola - 15 May 2019, 14h30

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra uma garota inalando gás de um botijão durante uma festa em um barco. Ao que parece, trata-se do R-22, geralmente utilizado para refrigeração em geladeiras e aparelhos de ar-condicionado.

O que chama a atenção na gravação é a reação da moça. Na primeira parte do registro, é possível vê-la cercada por amigos ajustando o botijão e levando uma mangueira até a boca. Na parte final, está sentada, com a cabeça jogada para trás, apoiada na lateral do barco. O produto é usado aqui para “dar barato”. Assista:

A mais nova, gás R-22 usado em refrigeração. Usando gás, para se drogar. É cada uma que inventam.🤦‍♂️

Continua após a publicidade

Posted by Paulo Silva on Saturday, April 6, 2019

A reportagem entrevistou especialistas para saber quais as sensações que o gás pode trazer se inalado. Para o psiquiatra Ronaldo Laranjeira, um dos maiores especialistas em dependência química do Brasil, o R-22 não tem propriedades alucinógenas.

“O efeito que ele causa é entorpecedor. Vários outros gases fazem o mesmo, como o do isqueiro. São todos solventes orgânicos”, diz o médico. “No fundo, são diferentes formas de se usar um solvente orgânico, o que acaba causando um efeito cerebral muito semelhante ao provocado pelo álcool. A pessoa apaga.”

Professor do Instituto de Química da Universidade de São Paulo (USP), Reinaldo Bazito afirma que o principal problema que o gás provoca é asfixia. “O R-22 gera uma severa deficiência de inalação. E narcose, como o que parece ter ocorrido com a menina do vídeo”, afirma. Narcose é o nome clínico dado quando o paciente apresenta alteração de seu estado de consciência devido à intoxicação por alguma substância.

Continua após a publicidade

Para efeito de comparação, o professor de química explica que o que ocorreu com a garota da gravação é semelhante ao que acontece com mergulhadores quando retornam muito rapidamente para a superfície. “Quando o gás é inalado, há um aumento muito abrupto de nitrogênio no sangue. Isso provoca a narcose”, diz.

Já Laranjeira tem uma preocupação: a facilidade de conseguir o gás. “As pessoas desenvolveram acessos a outros solventes como esse gás. O problema é que ninguém sabe a dose boa para cada uma delas na hora de usar como droga”, afirma. “A dose para se ter um baratinho para uns, pode ser o suficiente para causar uma parada respiratória para outros.”

O gás R-22 está disponível para venda em diversos sites. No Mercado Livre, ele é comercializado em botijões, em pequenos cilindros ou em latas. Os preços variam de 79 a 500 reais.

Publicidade