Continua após publicidade

“Gás de geladeira” é inalado para dar barato em festas

Especialistas ouvidos pela reportagem falam dos efeitos provocados pela substância

Por Ricardo Chapola
15 Maio 2019, 14h30

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra uma garota inalando gás de um botijão durante uma festa em um barco. Ao que parece, trata-se do R-22, geralmente utilizado para refrigeração em geladeiras e aparelhos de ar-condicionado.

O que chama a atenção na gravação é a reação da moça. Na primeira parte do registro, é possível vê-la cercada por amigos ajustando o botijão e levando uma mangueira até a boca. Na parte final, está sentada, com a cabeça jogada para trás, apoiada na lateral do barco. O produto é usado aqui para “dar barato”. Assista:

A reportagem entrevistou especialistas para saber quais as sensações que o gás pode trazer se inalado. Para o psiquiatra Ronaldo Laranjeira, um dos maiores especialistas em dependência química do Brasil, o R-22 não tem propriedades alucinógenas.

“O efeito que ele causa é entorpecedor. Vários outros gases fazem o mesmo, como o do isqueiro. São todos solventes orgânicos”, diz o médico. “No fundo, são diferentes formas de se usar um solvente orgânico, o que acaba causando um efeito cerebral muito semelhante ao provocado pelo álcool. A pessoa apaga.”

Continua após a publicidade

Professor do Instituto de Química da Universidade de São Paulo (USP), Reinaldo Bazito afirma que o principal problema que o gás provoca é asfixia. “O R-22 gera uma severa deficiência de inalação. E narcose, como o que parece ter ocorrido com a menina do vídeo”, afirma. Narcose é o nome clínico dado quando o paciente apresenta alteração de seu estado de consciência devido à intoxicação por alguma substância.

Para efeito de comparação, o professor de química explica que o que ocorreu com a garota da gravação é semelhante ao que acontece com mergulhadores quando retornam muito rapidamente para a superfície. “Quando o gás é inalado, há um aumento muito abrupto de nitrogênio no sangue. Isso provoca a narcose”, diz.

Já Laranjeira tem uma preocupação: a facilidade de conseguir o gás. “As pessoas desenvolveram acessos a outros solventes como esse gás. O problema é que ninguém sabe a dose boa para cada uma delas na hora de usar como droga”, afirma. “A dose para se ter um baratinho para uns, pode ser o suficiente para causar uma parada respiratória para outros.”

O gás R-22 está disponível para venda em diversos sites. No Mercado Livre, ele é comercializado em botijões, em pequenos cilindros ou em latas. Os preços variam de 79 a 500 reais.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Para curtir o melhor de São Paulo!
Receba VEJA e VEJA SP impressas e tenha acesso digital a todos os títulos Abril.
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.