Desfile da Vai-Vai é marcado por confusão

Ao fechar o portão, três integrantes de apoio ao grupo, que haviam distribuído bandeirinhas para o público, ficaram ainda na pista

A escola de samba Vai-Vai pode perder pontos após uma confusão nos minutos finais do desfile. Ao fechar o portão, três integrantes de apoio ao grupo, que haviam distribuído bandeirinhas para o público, ficaram ainda na pista. Mas o relógio já havia sido zerado pelos cronometristas da Liga na torre, que oficializaram o fim do desfile sem perceber os membros da escola no lado de dentro da avenida.

Fiscais da Liga começaram a gritar para a torre, avisando que os três membros da equipe da Vai-Vai haviam ficado na pista. O trio percebeu a movimentação e, temendo uma punição, retirou as camisas da escola. Segundo os fiscais da Liga, agora somente as câmeras poderão mostrar se é caso de perda de pontos. Para cada minuto de atraso, as escolas perdem um ponto.

O presidente da Vai-Vai, Darly Silva, conhecido por Neguitão, disse que vai recorrer caso haja punição e negou ter infringido as normas. “O que conta no regulamento são os componentes do desfile. O julgamento só deve ser feito a quem está fantasiado. Mesmo que esteja com camiseta da escola, não conta”, afirmou.

Escola seguinte à Vai-Vai na ordem de apresentação, a Nenê de Vila Matilde se recusou a entrar na avenida por questões de segurança depois que um dos carros da escola do Bixiga deixou um rastro de água com substância escorregadia. O líquido saiu de um dos carros alegóricos da Vai-Vai.

A bateria da Vai-Vai, que encerra o desfile, correu bastante nos cinco minutos finais. Houve princípio de confusão nos metros finais, quando os organizadores da escola pediam que os participantes corressem.

A escola homenageou a Mãe Menininha do Gantois, considerada uma das principais representantes do candomblé no Brasil. Filha de Menininha do Gantois, Mãe Carmen desfilou na comissão sentada em uma cadeira banhada de dourado. Para exaltar a religião, itens como búzios e máscaras africanas tiveram destaque nos carros alegóricos e nas fantasias.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Infelizmente só lembram do Candomblé no carnaval! Durante o ano só desrespeito e discriminação. Religião com o primeiro Deus monoteísta, respeita as mulheres, onde são tão importantes quanto os homens, sendo que no Candomblé do Tambor de mina a casa nem continua caso morra a Mãe dá casa. Deveriam ensinar nas escolas, rica em festas e com seus Orixás vivos todas as festas são abundantes em comidas e alegria. Seria a primeira Religião do Brasil, pois tem mais elementos de ligação com o povo brasileiro que as religiões européias e deveria ser protegida como patrimônio da humanidade!