Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

As curiosidades do novo McDonald’s em casarão na Avenida Paulista

Milésima unidade do McDonald's do Brasil tem espaços instagramáveis, cardápio exclusivo e esteira inspirada em restaurante da Austrália

Por Ricardo Chapola Atualizado em 14 fev 2020, 15h54 - Publicado em 18 out 2019, 12h30

O McDonald’s inaugurou nesta quinta-feira (17) sua lanchonete de número 1 000 no Brasil, que vai funcionar em um dos famosos e remanescentes casarões da Avenida Paulista. Localizado no número 1811, ao lado do Parque Mário Covas, o prédio abriga agora o novo restaurante da rede de fast-food na região. A notícia de que a mansão viraria um Mc foi antecipada em primeira mão pela Vejinha em julho.

A nova lanchonete possui uma série de novidades. Além de ser o primeiro restaurante da cadeia no Brasil a ter uma esteira que mostrará o caminho percorrido pelo sanduíche, da cozinha até o balcão, a lanchonete conta ainda com espaços instagramáveis, espaços verdes, serviço de mesa e um cardápio temporário com 15 itens exclusivos, com produtos sem lactose e um sanduíche no pão de queijo.

“É um espaço minuciosamente criado para que as pessoas tenham uma experiência única com a nossa marca”, afirma Paulo Camargo, presidente da divisão Brasil da Arcos Dorados, operadora da marca McDonald’s no país.

Lanchonete terá cardápio com sanduíche feito no pão de queijo Divulgação/Veja SP

Trata-se da milésima loja da franquia aberta no país. A unidade, que funcionará 24 horas por dia, representa um processo de modernização da marca, um projeto que já recebeu investimento de 1,25 bilhão de reais.

Com um espaço capaz comportar 220 pessoas sentadas, o McDonald’s estima vender cerca de 10 000 Big Macs por mês em sua nova loja, construída em um dos pontos mais movimentados da capital.

O projeto da nova unidade é do arquiteto australiano Mark Landini, que tem trabalhos ao redor do mundo como o McDonald’s da Times Square, em Nova York, e o supermercado Aldi China, em Xangai. A ideia em São Paulo era a de modernizar o espaço, preservando ao máximo o prédio antigo.

Rede investiu na estrutura da parte externa da nova lanchonete da Paulista Divulgação/Veja SP

Construída nos anos 40, a mansão com onze cômodos e cerca de 500 metros quadrados foi projetada pelo arquiteto Alberto Barsuglia. Levou cinco anos para ficar pronta. Até 1995, serviu de morada para um casal de imigrantes. Nos dez anos seguintes, a mansão foi sede de bancos. Lá funcionaram agências do BankBoston e do Itaú até meados de 2016. Foi durante esse período que o casarão passou a ficar famoso em razão de suas chamativas decorações de Natal. Depois disso, passou a ser usado para receber eventos e atrações de empresas.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade