Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Forte chuva deixa sete mortos na Grande São Paulo

A previsão é de mais chuva durante o dia

Por Estadão Conteúdo Atualizado em 11 mar 2019, 10h17 - Publicado em 11 mar 2019, 09h35

A forte chuva que começou na noite de domingo (10) alagou diversas regiões da Grande São Paulo e bloqueou vias de acesso para a capital. Ao menos sete pessoas morreram. A previsão é de mais chuva durante o dia.

Em Ribeirão Pires, no ABC Paulista, o desabamento de uma casa deixou quatro mortos e dois feridos. Há duas pessoas soterradas, informou o Corpo de Bombeiros à TV Globo. Outras duas pessoas morreram na Avenida do Estado. Uma pessoa morreu no bairro Taboão, em São Bernardo do Campo, no ABC, segundo o porta-voz dos bombeiros.

No Jardim Zaíra, em Mauá, três casas desabaram após um deslizamento de terra. Ninguém se feriu. O mesmo bairro registrou a morte de quatro crianças em fevereiro após outro deslizamento. Em São Rafael, Zona Leste da capital, um deslizamento de terra atingiu uma casa. A mãe e duas crianças ficaram feridas – uma delas em estado grave. Em Embu, na Grande São Paulo, o desabamento de uma casa deixou 3 feridos graves.

Por volta das 8h40, segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), haviam 27 pontos de alagamento na cidade de SP, sendo 15 transitáveis e 12 intrasitáveis. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) suspendeu o rodízio em toda a capital em razão do temporal.

Apesar dos congestionamentos, a tempestade perdeu força e não há mais registro de precipitações, de acordo com o CGE. Na região do Grande ABC paulista, o Rio Tamanduateí e seus afluentes ainda estão com as cotas muito elevadas ou extravasadas, o que mantém regiões em estado de alerta por precaução.

No horário acima, a SPTrans informou que a operação dos ônibus está prejudicada em razão das fortes chuvas. O Expresso Tiradentes, na zona leste, teve sua operação paralisada. Os ônibus de oito linhas não estão circulando pela Marginal Tietê, abaixo da Ponte das Bandeiras (zona norte), e fazem desvios pela Rua Voluntários da Pátria, Rua Santa Eulália e Avenida Santos Dumont. 

Outro ponto intransitável é o trecho entre as avenidas Paes de Barros e Luiz Ignacio de Anhaia Mello, na zona leste, por onde passam coletivos de 13 linhas. Alguns ônibus estão ilhados na Avenida do Estado e na região de Vila Prudente. Na zona oeste da capital, a Avenida Sumaré estava interditada no sentido Turiaçu por causa de queda de árvore.

A Linha 10-Turquesa da CPTM está paralisada em razão de alagamentos e sem previsão de volta. Às 8h40, a cidade de São Paulo registrava mais de 100 km de congestionamento. A região mais prejudicada era a zona leste, com 35 km de lentidão, seguida pela zona oeste, com 32 km de congestionamento.

Durante a madrugada, foi emitido um estado de alerta para a Marginal Tietê em razão da possibilidade de transbordamento do Rio Tietê na Ponte do Piqueri e na Ponte Dutra.

Continua após a publicidade

Publicidade