Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Cerimônia de Temer em Chapecó será às 10h em razão de atraso na saída dos aviões

A aeronave com o presidente aterrisou no aeroporto municipal de Chapecó por volta das 8 horas e 45 minutos

Por Veja São Paulo 3 dez 2016, 08h36

Um atraso na saída dos aviões vai postergar em duas horas a cerimônia do presidente da República, Michel Temer, com os familiares dos atletas da Chapecoense neste sábado (3). A previsão agora é que o evento no aeroporto municipal de Chapecó ocorrerá às 10 horas. Depois de sua chegada a cidade o presidente confirmou que também irá participar com a sua comitiva do velório coletivo montado na Arena Condá.

+ Mãe do goleiro Danilo consola repórter da SporTV após pergunta sobre tragédia da Chapecoense

Na sexta (2), a assessoria de imprensa do Planalto confirmou, por meio de nota, que Temer participará da cerimônia de Honras Fúnebres em homenagem às vítimas da tragédia. A nota, entretanto não confirma a presença do presidente na cerimônia que está sendo preparada na Arena Condá. Com receio de manifestações e vaias, detalhes da participação do presidente em Chapecó ainda estavam sendo fechados na noite de sexta (2). 

Já está definido que, no aeroporto, Temer vai entregar às famílias das vítimas a Medalha da Ordem do Mérito Desportivo como reconhecimento do governo federal e do povo brasileiro pelos serviços prestados ao País por todos os que estavam naquele voo. A Medalha da Ordem do Mérito é um reconhecimento do governo federal e do povo brasileiro pelos serviços prestados ao país por todos os que estavam naquele voo. Cerca de 100 parentes das vitimas estão se deslocando para o aeroporto ao encontro do presidente e também para receber os corpos.

A FAB não explicou o motivo do atraso. Vindos de Medellín, os voos com os corpos de 50 vítimas do acidente na Colômbia fizeram uma escala programada em Manaus para reabastecer. A aterrissagem na Base Aérea de Manaus aconteceu por volta das 23h30 desta sexta (2). 

A previsão inicial da FAB era permanecer em Manaus por apenas duas horas, para “reabastecimento e desembaraço alfandegário”. No entanto, os aviões ficaram quatro horas em solo amazonense. Neste período, os corpos foram homenageados por locais e por uma breve cerimônia com a presença do prefeito de Chapecó, Luciano Buligon.

Por Estadão Conteudo

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade