Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Conheça os costumes dos dois cemitérios israelitas da capital

Nesses locais, as tradições são bem diferentes das adotadas nas necrópoles cristãs

Por Guilherme Queiroz Atualizado em 14 fev 2020, 16h00 - Publicado em 20 jul 2018, 06h00

São Paulo tem dois grandes cemitérios israelitas, um na Vila Mariana, fundado em 1919, e o outro no Butantã, de 1953. Ali, os costumes são diferentes dos de necrópoles cristãs. “Os túmulos possuem apenas uma lápide, com o nome do falecido e o de seus pais, além da data de nascimento e morte”, explica Jose Goldfarb, coordenador da cátedra de cultura judaica da PUC. Antes do funeral, o corpo passa por um banho, acompanhado por orações. Depois, é enrolado em uma mortalha. No velório, o caixão permanece fechado. “Queremos que seja preservada a imagem de quando a pessoa era viva”, afirma Goldfarb. Entre as regras desses endereços está o enterro de suicidas em locais mais afastados. Ao visitarem os parentes, os fiéis deixam pedras e acendem uma vela em uma caixa reservada.

Lápides na Vila Mariana: hábitos específicos Acervo Chevra Kadisha/Veja SP
  • Publicidade