Continua após publicidade

Câmeras corporais da PM serão alvo de pesquisas por FGV e USP

Convênio prevê orçamento de 18,6 milhões de reais para estudos sobre inteligência artificial voltada à segurança pública

Por Redação VEJA São Paulo Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 23 ago 2022, 17h47 - Publicado em 23 ago 2022, 16h43

Um convênio assinado pela Secretaria de Segurança Pública com a FGV, USP e Fapesp prevê o desenvolvimento de pesquisas científicas na área de segurança pública, sobretudo para avaliar o impacto do uso de câmeras corporais por parte da PM (Polícia Militar).

+Aniversário do Parque Ibirapuera terá novo projeto de reciclagem

Com um orçamento de 18,6 milhões de reais, o convênio tem duração de cinco anos. Além do emprego das câmeras corporais, os estudos irão se debruçar no desenvolvimento de ferramentas de inteligência artificial e de dados que possam servir para aprimorar a capacidade de prevenir a violência e de combater o crime.

Serão selecionados 12 integrantes das três corporações que compõem as forças estaduais: as polícias Civil, Militar e Técnico-Científica. Esse grupo receberá bolsas de estudo para atuar junto com os pesquisadores das instituições parceiras.

+Dois são presos em operação contra venda de alvarás na Subprefeitura da Lapa

O convênio prevê a criação de um Centro de Estudos em Analytics e Políticas de Segurança na FGV, que receberá informações do governo estadual.

Atualmente o governo estadual divulga mensalmente os dados de criminalidade, entretanto, não há refino desses dados. Algumas instituições independentes, tais como a Fecap (Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado), usam os dados disponíveis para obter informações mais detalhadas por meio do Departamento de Pesquisas da Economia do Crime. Um dos estudos, o que mostrou quais são os locais e horários em que mais se roubam celulares na cidade de São Paulo, foi capa da Vejinha de fevereiro deste ano.

+Mais da metade dos casos de varíola dos macacos no Brasil são da cidade de São Paulo

Polêmica

Continua após a publicidade

Embora tenha reduzido a letalidade policial, o emprego das câmeras corporais virou tema de disputa no debate político, sobretudo entre os candidatos ao governo estadual. Alguns deles, tais como Tarcísio de Freitas (Republicanos), prometem rever o sistema.  Já o atual governador, Rodrigo Garcia (PSDB), que tenta a reeleição, é entusiasta de sua ampliação, bem como Fernando Haddad (PT), que lidera as intenções de voto.

 

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de 49,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.