Continua após publicidade

Dois são presos em operação contra venda de alvarás na Subprefeitura da Lapa

Foram apreendidos ainda o total de 90 000 reais, incluindo dólares; documentos eram expedidos ilegalmente para eventos

Por Redação VEJA São Paulo Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 23 ago 2022, 13h40 - Publicado em 23 ago 2022, 13h39

Uma operação deflagrada nesta terça-feira (23) revelou um esquema ilegal de venda de alvarás para eventos na Subprefeitura da Lapa, na Zona Oeste de São Paulo, segundo revelaram investigações do Ministério Público Estadual. Duas pessoas foram presas preventivamente, sendo uma delas um funcionário comissionado, que foi demitido pela prefeitura.

+Avenida dos Bandeirantes começa a receber faixa para motos

Além das prisões, os grupos do Ministério Público Estadual especializados em repressão a delitos Econômicos (Gedec), e de combate ao crime organizado (Gaeco), que integram a operação denominada Vesúvio, cumpriram quatro mandados de busca e apreensão na Subprefeitura da Lapa e em três residências. Foram apreendidos o equivalente a 90 000 reais, divididos entre reais (30 000) e dólares (12 000).

As investigações dão conta de que os envolvidos cobravam de forma indevida para fazer a emissão de alvarás de autorização para eventos, sobretudo na região da Pompeia.

+Mais da metade dos cados de varíola dos macacos no Brasil são da cidade de São Paulo

Em nota, a Prefeitura de São Paulo informou que tanto a Controladoria Geral do Município (CGM), quanto a Secretaria Municipal das Subprefeituras colaboram com as investigações policiais desde maio deste ano, época em que foi efetuada a prisão em flagrante de funcionária de carreira da Subprefeitura da Lapa. “A referida funcionária foi imediatamente exonerada da função de confiança, a exemplo do funcionário comissionado detido hoje”, informa nota da prefeitura.

A prefeitura informou ainda lamentar que servidores de carreira se envolvam em atos ilícitos, e repudiou qualquer tipo de irregularidade. “A punição será exemplar dentro dos limites da legalidade e se mantém à disposição da polícia e das autoridades competentes”, informa o texto.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.