Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Alesp aprova fim da meia-entrada em São Paulo e gera controvérsia

O projeto de lei de autoria de Arthur do Val (Patriotas) segue para sanção do governador; presidente da casa diz que houve equívoco

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 28 out 2021, 10h26 - Publicado em 28 out 2021, 10h07

A Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo) aprovou na última quarta-feira um projeto de lei que acaba com a meia-entrada em eventos culturais no estado de São Paulo. Agora, o PL segue para sanção do governo de São Paulo. 

O projeto é de autoria do deputado estadual Arthur do Val (Patriotas) e estabelece que pessoas entre zero e 99 anos paguem meia-entrada. Na prática, porém, a lei faria com que o preço fosse definitivo para todos, já que o valor cobrado passaria a ser o mesmo para qualquer pessoa, colocando fim ao benefício para idosos e estudantes. De acordo com o deputado, ele atendeu a “pedidos do setor”.

O presidente da Alesp, Carlão Pignatari (PSDB), disse nesta quinta-feira (28) que o governo de São Paulo não irá sancionar o projeto de lei e classificou a votação como um equívoco.

“Eu acho que foi um equívoco aprovar um projeto desse, porque existe uma lei federal que regulamenta, o estado não pode regulamentar esse tipo de benefício ou não. Então, eu vejo que foi um equívoco e eu tenho certeza que a procuradoria jurídica do Palácio vai determinar o veto desse projeto de lei”, afirmou ele em entrevista ao Bom Dia SP, da Rede Globo.

Carlão, o governador em exercício, disse que vetará o projeto de lei caso receba enquanto estiver no cargo (o governador e o vice-governador estão em viagem ao exterior).

O texto do PL inclui “salas de cinema, cineclubes, teatros, espetáculos musicais e circenses, eventos educativos, esportivos, de lazer e de entretenimento ou similares, promovidos por quaisquer entidades, públicas ou privadas, realizados em estabelecimentos públicos ou particulares”.

Continua após a publicidade

Publicidade