Clique e assine por apenas 6,90/mês
Pop! Pop! Pop! Por Blog Novidades da cultura pop e da internet

Homem desabafa após ser acusado de roubar a própria jaqueta

"Eu fui acusado de não pagar pela jaqueta azul que eu comprei no Natal e estava usando no estabelecimento", revelou o rapaz de 29 anos de idade no Facebook

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 5 Feb 2018, 18h19 - Publicado em 5 Feb 2018, 17h49

James Conley III, de 29 anos, passou por uma situação tão constrangedora e humilhante, que não conseguiu evitar o desabafo sobre a experiência no Facebook: o rapaz, que é negro, foi acusado de roubar uma jaqueta em uma loja de roupas em Iowa, nos Estados Unidos. “Hoje, eu fui racialmente catalogado pela loja da Old Navy em West Des Moines, em Iowa. Eu fui acusado de não pagar pela jaqueta azul que eu comprei no Natal e que eu estava usando dentro do estabelecimento“, contou o rapaz.

Fui questionado se eu também estava interessando em comprar a jaqueta que eu estava usando“, relembrou James sobre a situação. A primeira reação do rapaz foi rir já que ele “não acreditava no que estava ouvindo”. “O gerente da loja, Beau Carter, não foi nada profissional e me julgou a partir de um estereótipo porque eu sou um homem negro. Ele disse que ‘toda vez que alguém está usando uma roupa da Old Navy na loja, eles precisam escanear a roupa do cliente para garantir que a peça foi comprada previamente’ (onde eles fazem isso?)“, disparou o rapaz sobre a situação.

Sempre que eu vou à Old Navy estou vestindo essa mesma jaqueta azul de inverno e os funcionários nunca me pediram para escanear as minhas roupas. Alguns consumidores que não eram negros tinham peças idênticas à minha, mas não pediram para escanear a roupa deles“, desabafou James ao relembrar o momento.

James, no entanto, permitiu que os funcionários escaneassem sua jaqueta: “Eles tentaram me fazer pagar novamente pela roupa. Finalmente, a gerente distrital, Shannon (que se recusou a dar seu sobrenome) chegou e eu a fiz checar as câmeras de segurança para provar que ela e seus colegas de trabalho estavam errados ao fazer um perfil racial meu por causa da cor da minha pele“, disse. “Assim que ela confirmou que eu estava certo (após assistir à fita), ela não me pediu desculpas — assim como o gerente da loja, Beau Carter, como você pode ver nos vídeos“. Confira: 

Continua após a publicidade

Today I was racially profiled by the Old Navy store in West Des Moines, Iowa in Jordan creek. I was accused that I didn'…

Posted by James Conley III on Tuesday, January 30, 2018

O desabafo de James chamou atenção na internet: mais de 150 000 pessoas compartilharam a história — e outras 20 000 deixaram nos comentários seu apoio ao rapaz. Após a repercussão do caso, a própria Old Navy precisou se manifestar sobre o preconceito demonstrado por seus funcionários.

Continua após a publicidade

No começo desta semana, um cliente da Old Navy, James Conley, teve uma experiência inaceitável na nossa loja em Iowa. A situação foi uma violação das nossas políticas e valores, e nós pedimos desculpas ao senhor Conley e aos consumidores que desapontamos“, diz o comunicado, publicado no Facebook no sábado (3).

Todos os nossos clientes merecem ser tratados com respeito. Seguindo uma investigação do incidente, três funcionário que estavam envolvidos foram demitidos. Nós levamos essa questão — e qualquer outra conversa sobre igualdade — muito a sério. A Old Navy está comprometida para garantir que as nossas lojas sejam um ambiente onde todos se sentem bem-vindos“, diz a publicação, que já foi compartilhada mais de 1 000 vezes e recebeu outras 7 000 reações. 

Earlier this week an Old Navy customer, James Conley III, had an unacceptable experience in our Jordan Creek, Iowa…

Continua após a publicidade

Posted by Old Navy on Saturday, February 3, 2018

Dê sua opinião: E você, o que achou do desabafo publicado por James Conley III? Deixe seu comentário e aproveite para curtir a nossa fanpage no Facebook!

Publicidade