Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês
Pop! Pop! Pop! Por Blog Cultura pop, TV e o que repercute nas redes sociais

Como um pedido mudou a vida deste rapaz e de mais 10 000 pessoas

"Eu estou desesperado para conhecer novos amigos. Eu estou solitário e enfrentando o período mais difícil da minha vida", escreveu o homem de 27 anos

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 16 nov 2017, 19h48 - Publicado em 16 nov 2017, 19h44

Em dezembro de 2016, Patrick Cakirli, de 27 anos, publicou uma mensagem triste nas redes sociais: “Eu estou desesperado para conhecer novos amigos. Estou solitário e enfrentando o período mais difícil da minha vida. Estarei na escadaria em frente à prefeitura das 14h às 20h. Estou usando uma calça preta e um casaco de frio“, ele disse, especificando a marca do agasalho. Quase um ano depois, o recado já mudou a vida de quase 10 000 pessoas.

A mensagem foi compartilhada em um fórum anônimo, onde você pode escrever sobre o que quiser e qualquer pessoa que estiver a um raio de dez quilômetros de distância irá receber a mensagem.

Na época, Patrick não fazia ideia se o pedido por socorro seria respondido. O rapaz passou a maior parte da infância vivendo em orfanatos. Por causa das experiências que enfrentou nas instituições, o jovem hoje tem uma baixa autoestima. Em setembro de 2016, a ex-namorada do rapaz o traiu — foi quando ele se desesperou e, com pensamentos suicidas, resolveu publicar a mensagem no aplicativo.

Eu nunca tive muitos amigos e os poucos que eu tinha eu perdi o contato após o começo do meu relacionamento com a minha ex-namorada, em 2010“, desabafou o jovem no site Bored Panda. “Então lá estava eu, sem família, amigos ou namorada. Eu estava sozinho. E, no meu desespero, eu decidi escrever e enviar a mensagem“. Muitas pessoas ouviram o chamado de Patrick e, naquele dia, ele conheceu treze estranhos que apareceram no local marcado para apoiá-lo — treze novos amigos.

Eu fui inundado por alegria, eu tive que me segurar para não chorar. Muitos deles desabafaram comigo naquela noite, revelando que eles também sentiram o peso da solidão, mas que estavam com medo de pedir ajuda por causa do estigma“, explicou o rapaz. A história inspiradora viralizou na Dinamarca e, no dia seguinte, Patrick estava em uma rádio para contar sua história. Grandes redes de televisão local também contataram o rapaz para discutir uma entrevista ou uma reportagem, assim como muitos jornais.

Continua após a publicidade

Patrick recusou as ofertas: “Eu estava com medo do estigma e do tabu mas, após muita consideração, eu decidi compartilhar a minha história. Não por minha causa, mas para ajudar os outros. Eu sabia que algo precisava ser feito“. Segundo o rapaz, uma pesquisa revelou que mais de 210 000 dinamarqueses se sentem solitários frequentemente.

https://www.instagram.com/p/BUiNXBDDWWk/?taken-by=patrickcakirli

Eu comecei uma rede nacional onde pessoas solitários poderiam encontrar novos amigos e desconhecidos com quem tem assuntos em comum. Um rede onde você será aplaudido por mostrar suas fraquezas e vulnerabilidades. Uma rede onde nós, como uma comunidade, ficaremos juntos para lutar contra o tabu da solidão“, disse.

  • Cinco meses após o lançamento da rede, Patrick caminhou por dez dias de Copenhague até Aarhus para conscientizar outras pessoas sobre o projeto. “O conceito era: eu só poderia caminhar se estivesse acompanhado de outra pessoa. Para a minha sorte, mais de setenta pessoas apareceram para apoiar a causa. Elas andaram comido ou me ofereceram casa e comida. O projeto foi um sucesso e eu ganhei a atenção da mídia“.

    Agora, quase um ano após a mensagem que mudou a vida do rapaz, ele abandonou a faculdade como programador para perseguir o sonho de conectar cada vez mais pessoas — hoje, 10 000 pessoas integram a rede mundial criada pelo jovem. E tudo isso começou com uma única mensagem. 

    Dê sua opinião: E você, o que achou da história inspiradora de Patrick? Deixe seu comentário e aproveite para curtir nossa página no Facebook!

    Continua após a publicidade
    Publicidade