Clique e assine por apenas 6,90/mês
Pop! Pop! Pop! Por Blog Novidades da cultura pop e da internet

Menino emociona funcionários ao adotar o cachorro mais velho do abrigo

"Ele entendeu que o Shey não podia ouvir o que estava acontecendo e que também não conseguia ver tudo claramente. Foi um processo muito lento e cuidadoso"

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 11 abr 2018, 18h52 - Publicado em 11 abr 2018, 18h49

Em novembro de 2017, o poodle Shey, de 14 anos de idade, foi deixado no abrigo Animal Rescue League of Iowa, nos Estados Unidos, porque sua família se mudou e não podia ficar mais com o mascote. O cachorro morou no endereço por quatro meses e era o cão mais velho do local, com muitas doenças. Até que os funcionários do abrigo foram surpreendidos por um menino que, apesar dos problemas de Shey, decidiu adotá-lo.

Quando Tristan e sua mãe chegaram ao abrigo, eles estavam procurando um cachorrinho que adorava carinho. Os funcionários sabiam que o pequeno Shey era a escolha certa para a família: “Shey é muito meigo e adora estar perto de pessoas o tempo todo“, contou Jessica Jorgenson, coordenadora do abrigo, ao The Dodo. O menino não se importou com as doenças dentarias do cãozinho, muito menos com o fato de que ele nunca tinha sido castrado e que teria que passar por cirurgias. O poodle também era surdo, cego de um olho e quase desdentado. Nada disso parecia ter importância para Tristan. 

O menino sentou-se e esperou para conhecer o seu novo animal de estimação. Quando os funcionários colocaram Shey no colo de Tristan, o rostinho da criança de iluminou: “Ele ficou muito confortável com o Tristan desde o começo“, relembrou Jessica sobre o dia da adoção. Ele também entendeu todas as necessidades especiais do pequeno poodle. “Ele entendeu que o Shey não podia ouvir o que estava acontecendo e que também não conseguia ver tudo claramente. Foi um processo muito lento e cuidadoso. Ele respeitou muito o que o Shey podia ou não fazer“.

Aos funcionários, Tristan revelou que escolheu um lugar especial para a mascote em seu quarto. Agora, confortavelmente morando com sua nova família, Shey claramente já encontrou um lugar favorito: nos braços do novo dono. “O Shey está muito contente. Ficar abraçadinho é a coisa que ele mais gosta de fazer, e ele está muito confortável nos braços do Tristan“, explicou Jessica. 

Continua após a publicidade

Dê sua opinião: E você, o que achou da história emocionante? Deixe seu comentário e aproveite para curtir nossa página no Facebook!

Publicidade