Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês
Poder SP Por Sérgio Quintella Sérgio Quintella é repórter de cidades e trabalha na Vejinha desde 2015

Soninha rebate Filipe Sabará e o chama de mau caráter, desleal e desonesto

Em entrevista a Vejinha, pré-candidato à prefeitura pelo Novo disse que a vereadora "idealiza muito" e não consegue colocar projetos em prática

Por Sérgio Quintella Atualizado em 17 jul 2020, 19h02 - Publicado em 17 jul 2020, 18h54

A vereadora Soninha Francine (Cidadania) rebateu o pré-candidato à prefeitura pelo Novo, Filipe Sabará, e o chamou de mau caráter, desleal e desonesto. Em entrevista ao Papo Vejinha desta semana, Sabará, ex-secretário municipal de Desenvolvimento Social, afirmou que a parlamentar, que foi titular da pasta antes dele, é “visionária e idealiza muito. Vive no campo das ideias. É uma ótima VJ, jornalista e parlamentar. Eu assistia a ela na MTV. Agora, como gestora, não conseguia pôr ideias em prática”.

Em uma postagem no Facebook, Soninha disse que “nos dificílimos cem dias em que foi secretária de Assistência Social, nenhum de seus mil problemas era maior ou mais absurdo que a convivência com o secretário adjunto [Sabará]”. Ela esteve no cargo durante a gestão de João Doria (PSDB).

“Não tenho nada contra ela, mas a Soninha é visionária, idealiza muito. Vive no campo das ideias. (…) Como gestora, não conseguia por ideias em prática”. SABARÁ, Filipe. Entrevista para Vejinha.

Nos dificílimos cem dias em que fui Secretária de Assistência Social, nenhum dos meus mil problemas era maior ou mais absurdo que a convivência com o Secretário Adjunto. Por razões diversas, como um mau-caratismo manifestado em vários tipos de deslealdade e desonestidade. Mas também por viver em um mundo delirante, em que as soluções eram muito simples (“é só dar emprego e as pessoas largam as drogas!).

Ele também defendia que era possível fazer Centros de Acolhida incríveis com doações de empresas, para onde as pessoas iriam e teriam todos os seus problemas resolvidos. Eu não era capaz de enfiar na cabeça dele que a população em situação de rua é um pouquinho mais complexa do que isso. Aliás, QUALQUER pessoa é mais complexa do que isso.

Nas reuniões do Secretariado, dizia maravilhas: ‘Conseguimos a doação de cem colchões para nosso Espaço Vida’! Eu dizia ‘Prefeito, colchão é o de menos, o problema é a GESTÃO. Quem vai administrar o espaço, com qual recurso?’. Eles entendiam ‘o problema é a gestão’ como se fosse uma confissão da minha incompetência. CANSEI de alertar o Doria para as mentiras do Sabará. Procurem todas as entrevistas em que o prefeito, acreditando em seu homem de confiança, prometeu “83 Espaços Vida”. Quantas vezes eu disse ‘Não é possível, não é necessário, não faz sentido’.

Até que um dia Sabará se superou e apresentou esse vídeo na reunião, sobre como seria um Espaço Vida. Um Centro de Acolhida para pop rua com capacitação para o trabalho etc. Até o prefeito ficou constrangido. ‘Acho que é um pouco demais, Filipe’. Eu vivo ‘no mundo das ideias’, sou péssima gestora.”

No post, Soninha também incluiu o vídeo com o projeto citado por Sabará.

Continua após a publicidade

 

 

Além da fala sobre Soninha, Filipe Sabará, na mesma entrevista, afirmou que os burocratas dos órgãos de patrimônio precisam olhar para os problemas sociais do centro e ouvir as histórias de quem mora longe.  Ao comentar sobre a atuação do governador paulista frente à pandemia, afirmou que o presidente Jair Bolsonaro se saiu melhor que seu padrinho político, João Doria. “O Doria pensou apenas em política. Ele chamou o presidente de ‘vírus’. Sua atuação se resumiu a isso. Comprou respiradores que não chegaram e teve resultados técnicos fracos e questionáveis. O Bolsonaro, apesar de algumas atitudes questionáveis, se saiu melhor que o Doria no combate à pandemia.”

  • + OUÇA O PODCAST #SPSONHA

     

     

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade