Clique e assine com até 89% de desconto
Poder SP Por Sérgio Quintella Sérgio Quintella é repórter de cidades e trabalha na Vejinha desde 2015

Joice Hasselmann, ex-Bolsonaro “de saias”, teve desempenho pífio em 2020

Após romper com presidente e sua família, deputada federal ficou longe do primeiro pelotão

Por Sérgio Quintella Atualizado em 16 nov 2020, 00h42 - Publicado em 16 nov 2020, 00h19

Eleita na onda bolsonarista em 2018 com mais de 1 milhão de votos, a deputada federal Joice Hasselmann (PSL) não conseguiu repetir este ano no pleito municipal o sucesso do passado recente _com 99,92% das urnas apuradas, tinha 1,84% dos votos. Em agosto último, quando aparecia com apenas 3% das intenções de voto, a parlamentar já sinalizava o fim de uma época direitista, mas ainda acreditava em um recall do pleito proporcional de dois anos atrás.

“Deu uma espalhada, mas dá para reorganizar. A campanha não começou. Políticos tradicionais, como o Geraldo Alckmin, começam lá em cima e terminam passando vergonha”, disse a então candidata, à Vejinha, há três meses. O prognóstico seguinte, no entanto, não se materializou. “É o que vai acontecer com o Bruno Covas. E Bruno é Alckmin, não é Doria. Ele terá tempo de TV, mas não tem conteúdo, vai apresentar o quê? O chafariz de 94 milhões (reforma no Vale do Anhangabaú)? O Bruno é uma nulidade como prefeito. Está passando por dificuldade? Sim, e quero que vença isso. Mas não dá para misturar as coisas”, afirmou, se referindo a um câncer no trato digestivo que o prefeito descobriu há um ano e que está sendo tratado.

Alvo de campanhas difamatórias e gordofóbicas, Joice chegou a utilizar a personagem Peppa Pig, usada até então por detratores, mesmo depois de ela ter perdido vinte quilos. A ideia partiu de seu marqueteiro, Daniel Braga, que havia trabalhado como estrategista digital de João Doria na prefeitura paulistana. A boa relação que a parlamentar mantinha com o atual governador, aliás, levantou na pré-campanha seu nome como uma possível candidata apoiada pelo tucano, empreitada que morreu no nascedouro pelo simples fato de o prefeito Bruno Covas possuir ascensão e raiz nos diretórios do PSDB.

Se não conseguiu transformar a popularidade de 2018 em votos dois anos depois, Joice Hasselmann vai poder guardar pelo menos um momento desta campanha: a musiquinha sobre IPTU que ela cantou para Bruno Covas, no debate da TV Cultura, na última quinta (12) e que virou meme nas redes sociais.

Continua após a publicidade
Publicidade