Alunos relatam explosão em colégio militar de São Paulo

Estudantes estavam no recreio quando ouviram grande barulho no pátio; três crianças ficaram feridas

Os alunos da unidade de Santo Amaro do Colégio Cruz Azul, conhecido como Colégio da PM, foram surpreendidos com uma explosão durante o intervalo do último dia 30 de novembro. Com salas que vão do ensino infantil ao médio, a instituição, privada, recebe alunos crianças e adolescentes. Nesse dia, todos estavam reunidos por volta de 9h30, quando três jovens atiraram uma pequena bomba da janela de uma das salas.

“Os prédios são ligados e voltados para a quadra. Todos passam o intervalo juntos. Na sexta-feira (30), eles jogaram de cima de uma sala. Ninguém conseguiu ver quem foi. A bomba foi para o meio da quadra e os estilhaços acertaram três alunas: na perna, no joelho e no rosto”, diz um estudante que pediu para não ser identificado. “Havia mais de trezentas crianças na hora e depois começou uma grande confusão. O barulho foi muito grande e não parecia um morteiro qualquer. Depois acabou o intervalo e fomos para a sala. O pior é que a sensação é de que tudo ficou por isso mesmo e até agora não sabemos os autores.”

O relato também foi feito por outro aluno que pediu anonimato. Em grupos de WhatsApp, não se fala em outra coisa. “Minha mãe não gostou de saber da história, pois como está a segurança da nossa escola? Não sabemos. Em um colégio militar, cujo lema é ordem e disciplina, isso não pode acontecer. Aliás, em nenhum outro”, reclama o estudante.

Por telefone, a direção da escola disse que o caso não foi grave e que os feridos não precisaram de atendimento médico. Posteriormente, em nota, relatou que os autores foram punidos, mas sem explicar se foram advertidos ou suspensos.

Confira a íntegra do diretor da escola, Josiano Martins de Moraes:

“Em resposta ao e-mail para publicação de uma reportagem sobre “ação violenta que ocorreu no colégio”, temos a informar que no dia 30 de novembro, por volta das 9h30, três alunos adolescentes da 3ª série do Ensino Médio, durante o horário de intervalo, soltaram três bombinhas de festa junina no pátio. Tivemos três alunos com pequenas escoriações nas pernas, não tendo necessidade de atendimento médico. Esclarecemos que os pais dos alunos envolvidos foram chamados e orientados pela direção e as medidas disciplinares regimentais foram adotadas. Informamos também que a equipe da psicologia e a direção estão acompanhando e orientando todos os alunos.”

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s