Clique e assine por apenas 5,90/mês
Blog do Miguel Por Miguel Barbieri Jr. Fique por dentro das melhores dicas de filmes e séries.

Todo cinéfilo precisa ver: filmes dos anos 80 e 90 no Belas Artes à la Carte

O Carteiro e o Poeta ganhou o Oscar de melhor trilha sonora e Massimo Troisi, que morreu logo após as filmagens, teve uma indicação póstuma de melhor ator

Por Miguel Barbieri - 15 out 2020, 12h19

Já comentei aqui no meu blog sobre o Belas Artes à la Carte, uma plataforma de assinatura (R$ 9,90 por mês ou R$ 108,90 por ano) que tem títulos exclusivos. A curadoria é ótima, sobretudo para quem gosta de clássicos, cults, premiados em festivais, produções francesa, asiáticas… Semanalmente, o acervo recebe quatro novos títulos e, recentemente, além dos longas-metragens de Wim Wenders,  o maravilhoso O Carteiro e o Poeta foi adicionado à plataforma. Confira abaixo alguns cults dos anos 80 e 90, que eu gosto muito.

O Carteiro e o Poeta > Por questões políticas, o poeta chileno Pablo Neruda (Philip­pe Noiret) se exila numa ilha na Itália. É lá que mora Mario (Massimo Troisi), o desempregado filho de um pescador que, com aumento das correspondências, vira o carteiro pessoal de Neruda. De classes sociais e culturais distintas, eles ficam amigos. A belíssima trilha sonora de Luis Bacalov ganhou o Oscar e Massimo Troisi, que morreu logo após o término das filmagens, foi indicado a melhor ator.

A Copa > No raríssimo filme do Butão, um jovem monge, que é fascinado por futebol, faz de tudo para assistir às partidas da Copa do Mundo de 1998, realizada na França. Isso implica ter de driblar a vigilância de seu mestre, escapar do monastério e andar muito para chegar até um vilarejo. Lá, precisa encontrar um bar que tenha televisão. Entre os ensinamentos de Buda, a galera vibra nos lances de Ronaldo nos campos e, com uma alegria de poder ver algo inédito, contagia a todos.

Beleza Roubada > Jeremy Irons e Liv Tyler (em um de seus primeiros papéis) atuaram sob o comando do mestre Bernardo Bertolucci (1941-2018), que realizou um de seus últimos e mais belos trabalhos. Liv interpreta uma jovem americana que chega a uma villa na Toscana com objetivos. Ela quer reencontrar o jovem em quem deu o primeiro beijo, rever os amigos de sua mãe, que se suicidou, e descobrir se um deles é seu pai. Há locações magníficas e direção de fotografia deslumbrante a cargo de Darius Khondji.

Caravaggio > Além de icônicos videoclipes de Pet Shop Boys, The Smiths e Marc Almond, o diretor Derek Jarman, que morreu em decorrência da Aids, em 1994, aos 52 anos, deixou uma curta, porém vistosa, filmografia. Usando elementos contemporâneos, o cineasta levou às telas uma biografia pouco convencional de Caravaggio (Nigel Terry), que, enquanto desenvolvia uma pintura mais realista na Itália do início do século XVII, se envolveu com um de seus modelos, interpretado por Sean Bean.

Paris, Texas > Vencedor da Palma de Ouro no Festival de Cannes em 1984, o filme é um dos mais famosos do diretor alemão Wim Wenders. A história cobre a trajetória errante de Travis Henderson (Harry Dean Stanton), que acorda desmemoriado num deserto e precisa se reconectar com a família. O Belas Artes à la Carte tem outros títulos de Wenders: Alice nas Cidades, Movimento em Falso, O Amigo Americano, Asas do Desejo (leia abaixo), Tão Longe, Tão Perto, Buena Vista Social Club e Tokyo-Ga.

Asas do Desejo > O alemão Wim Wenders dirigiu, em 1987, esta pérola em preto e branco sobre anjos na cidade de Berlim antes da queda do muro. O ator Bruno Ganz, que morreu em 2019, interpreta um dos alados que, ao se apaixonar por uma trapezista, decide abrir mão da imortalidade e sentir as dores e os prazeres dos humanos.

+Assine a Vejinha a partir de 6,90

Meu Marido de Batom > Transgressora à época do lançamento, em 1986, a comédia dramática do francês Bertrand Blier é ousada até hoje. Na trama, Gérard Depardieu interpreta Bob, um ladrão bissexual que convence um casal a entrar para o mundo do crime. Forma-se aí um triângulo amoroso. Monique (Miou-Miou) sente um desejo incontrolável por Bob, que quer algo mais com o marido dela, Antoine (Michel Blanc). Transexualidade e poliamor na década de 80 embalados por canções de Serge Gainsbourg.

Continua após a publicidade

Bagdad Café > Turista alemã nos Estados Unidos, Jasmin (Marianne Sägebrecht) é largada pelo marido na estrada, mas encontra abrigo num motel. É recebida com frieza pela dona do local (CCH Pounder) e tenta se adaptar à nova vida. Empoderamento feminino na década de 80 pela ótica do diretor Percy Adlon.

Diva > Antes de realizar Betty Blue, o francês Jean-Jacques Beineix fez este estiloso suspense com deslumbrantes locações em Paris. Na trama, um jovem carteiro (Frédéric Andréi), apaixonado por um diva da ópera (Wilhelmenia Wiggins Fernandez), realiza uma gravação secreta de sua voz. Mas a fita cassete trará más consequências para ambos.

Sid & Nancy — O Amor Mata > Chloe Webb e Gary Oldman interpretam Nancy Spungen e Sid Vicious. Ele era vocalista e líder da banda punk Sex Pistols, na Inglaterra da década de 70. Ao conhecer Nancy, Sid viu sua vida e carreira ir pelo ralo por causa das drogas pesadas e do álcool. Uma cinebiografia cercada por polêmicas.

Traídos pelo Desejo > Neil Jordan dirigiu, em 1992, este surpreendente suspense sobre um integrante do IRA que, após a morte de um soldado inglês, vai dar a notícia à namorada dele — e por ela se encanta.

O Fundo do Coração > O filme naufragou nas bilheterias e provocou a falência da produtora de Francis Coppola, que recriou Las Vegas em estúdio. O resultado é um deleite visual, um musical iluminado por neons que conta a trajetória de um casal em busca de novos parceiros. Tem Nastassja Kinski (foto) no elenco e Tom Waits na trilha sonora.

Quer me seguir nas redes sociais? Anote: 

Facebook: facebook.com/paginadoblogdomiguel
Twitter: @miguelbarbieri
Instagram: miguelbarbieri
YouTube: Miguel Barbieri Jr. 

 

Continua após a publicidade
Publicidade