Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês
Memória Por Blog Uma viagem no tempo às décadas passadas por meio de suas histórias, costumes e curiosidades.

Coleção de quatro livros conta a história da Câmara Municipal

Obras abrangem as legislaturas de 1948 a 1963

Por Rosana Zakabi 8 dez 2017, 06h00

No fim de novembro, a escola do Parlamento, que promove atividades de ensino, pesquisa e extensão na Câmara Municipal de São Paulo, lançou uma coleção de três livros digitais que contam a trajetória de um período da casa, entre 1952 e 1963. Trata-se de uma continuação de São Paulo na Tribuna: Primeira Legislatura (1948-1951), publicado em 2012. “Esperamos que a obra completa seja usada como fonte por universidades e cidadãos interessados em conhecer essa parte da história da cidade”, explica o coordenador da escola, Pedro Henrique Lopes Campos.

O primeiro volume da nova trilogia, sobre a segunda legislatura, traz detalhes das discussões entre os vereadores sobre as comemorações do quarto centenário da capital, em 1954, e o perfil de William Salem, que ocupou o cargo de prefeito de São Paulo por seis meses, no lugar de Jânio Quadros, e foi duas vezes presidente da Câmara.

Os outros dois livros associam as atividades dos parlamentares a acontecimentos históricos. em seus 457 anos de existência, a casa dos vereadores já funcionou em diversos pontos do centro, entre eles o Largo São Francisco e as ruas São Bento, do Carmo e Líbero Badaró, até chegar, em 1969, ao atual endereço, o Palácio Anchieta, no Viaduto Jacareí.

Nesse período, indicou o primeiro prefeito da cidade, antônio da Silva Prado, em 1899, e foi fechada três vezes: em 1889, após a Proclamação da República; na revolução de 1930, por ordem do então presidente Getúlio Vargas; e em 1937, durante o estado Novo — ocasião em que passou onze anos com os serviços suspensos e foi reaberta apenas em 1948, quando 45 vereadores tomaram posse, dando início à primeira legislatura (hoje são 55 no total).

Continua após a publicidade

Publicidade