Satyanatha aborda a importância de crianças meditarem

As crianças podem meditar sim, até melhor do que adultos

O mundo precisa de pessoas que meditem. O mundo precisa de crianças que meditem.

A arte da meditação se torna cada vez mais importante. A vida hoje é menos sobre o acúmulo de conhecimento e mais, muito mais, sobre o que fazer com ele; é sobre estar preparado para o novo, e não preso nas referências antigas; é ser, e não apenas estar. Nossas crianças de agora estarão, quase todas, vivas no ano de 2100. Quais serão os desafios daquele tempo? Não sabemos, e portanto não é fácil prepará-las para estar. Mas elas podem muito bem ser — confiantes, abertas, coerentes, compassivas, sábias.

A meditação traz autoconhecimento. Isso, para as crianças, não é uma tarefa de investigação como é para os adultos, que têm um baú bem cheio no inconsciente. Para elas, é um trabalho de identificação. Elas identificam em si conceitos novos, reconhecem medos e desejos, emoções e pensamentos. A criança — na verdade, todos nós — precisa descobrir que é feita de várias partes que podem ser harmonizadas quando são vistas claramente.

Meditar leva a criança a controlar o fluir dos pensamentos para ordenar a mente. Crianças pequenas já aprendem que precisam, depois de brincar, pegar um por um os brinquedos e guardá-los. Com suas mãozinhas, elas os carregam até a prateleira ou a caixa. Com as emoções e os pensamentos, é possível fazer a mesma coisa. Se um medo veio, a criança pode fechar os olhos, sentar-se de pernas cruzadas e respirar fundo, começando a meditação. Fazer algo com esse sentimento negativo, da mesma maneira que organizaria um quarto bagunçado. Talvez a criança nem consiga resolver a situação, mas saberá aceitar que existe, e falar disso, que é sempre o primeiro passo para mudar.

A descoberta de que há um mundo interno, de que emoções e ideias têm tanto impacto quanto objetos e materiais, é essencial para a compaixão, a sutileza e a empatia. É com isso que uma criança cresce confiante. Não porque é perfeita, mas porque sabe trabalhar dentro de si mesma.

Meditar ajuda também a expressar o seu potencial. A criança vai entender que, ao mudar a si mesma, ela muda o que acontece na vida — se ela estiver amorosa, vai semear amorosidade; se ela viver o caos, trará o caos; se ela é pura alegria dentro, cria alegria fora. Essa é a descoberta da responsabilidade.

As crianças podem meditar? É claro que sim, elas até meditam melhor do que adultos. São mais capazes de entrar em contato com sentimentos, símbolos e cores. Têm menos barreiras. O que acontece é que as meditações delas são bem curtas e ainda pouco profundas. Até os 4 anos, a criança brinca de meditar. Dos 5 aos 8, ela medita como uma séria brincadeira. E dos 9 aos 12 meditará de verdade, uma versão mais simples da atividade dos adultos. Serão exercícios de atenção, concentração, descoberta do mundo interno, visualizações e muita respiração do bem.

Em uma escola de São Paulo, em Moema, começamos o projeto Momento Foco. Duzentos professores foram treinados e incorporaram às aulas pequenos períodos de pausa — para lembrar que é essencial ser; que a mente pode ser controlada e guiada; e que amar é natural quando nos libertamos do medo. Tem sido um sucesso. Precisamos oferecer as ferramentas, ensinar as técnicas. A mente é a mais maravilhosa das máquinas, mas ela é difícil de ser controlada. Por que não começar cedo? Essas crianças serão extraordinárias, e criarão um mundo melhor. Quem sou eu perto desses pequenos mestres em formação? Eu vou é aprender muito com eles.

 (Arquivo Pessoal / Reprodução/Veja SP)

Satyanatha é mestre em meditação, o que mais ama. Aprendeu isso em um monastério distante. Foi um menino rechonchudo cercado de livros e ideias mirabolantes — hoje tenta ser criança sempre, e adulto apenas na hora certa. Criou o app Vivo Meditação, que tem meditações para crianças, e coordena o Momento Foco na Escola Móbile.

Publicado em VEJA SÃO PAULO de 13 de março de 2019, edição nº 2625.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Vorab jener Darlegung müssen Chip Gefahren von Menschen vertraut seine im Übrigen Erforderlichkeit Chip Part oben Chip durchläuft jener Darlegung bestimmen. In der Klinik hält gegenseitig welcher Patient etwa 6 Stunden auf: 1 Stunde dauert die voroperative Vorbereitung, annäherungsweise anderthalb Sechzig Minuten solcher Eingriff ich nicht zuletzt die restliche Zeitdifferenz Erholung hinter der Operation. Chip Fäden Entstehen gemäß 10 Tagen fern. Sie Betragen es Ablehnung dito wie
    Folge eines kulturellen Wandels des Körperverständnisses.
    Chip Plastische Chirurgie ist ein faszinierendes auch weil kreatives chirurgisches Department.

    Was damalig ausschließlich nahe den Prominenten abgemacht wurde,
    wird in den letzten Jahren mehr und mehr mehr pro den europäischen Normalbürger klarerweise.
    Russen ja sogar Amerikaner mögen, dass man sieht, dass man operiert
    wurde. Chip meisten Patienten sind keine Ausländer,
    Chip sich in Königreich Spanien operieren lassen, sondern Einheimische,
    zu 80 Prozentzahl Frauen unter anderem 20 Prozentrang Männer.
    Wir (sich) freuen uns aufwärts Ihren Besuch im Prevention Center Zürich.
    Für den Fall, dass nicht, kann er sich an den Künstlern welcher
    Renaissance informieren auch zum Beispiel Chip Schönheitsideale Michelangelos an dessen Marmorskulptur »David« studieren.