Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Cidade das Crianças Por Blog Os melhores programas para crianças e família espalhados por São Paulo. Por Maria Alice Prado (maria.alice@abril.com.br)

Leitura ao ar livre: Biblioteca de São Paulo leva acervo infantil e contações para dois parques da cidade

Não conhecia até então e achei muito legal o projeto Domingo nos Parques da Biblioteca de São Paulo. A instituição leva programações que estimulam a leitura para os Parques da Juventude e Villa-Lobos, sempre aos domingos. Neste dia 22, o programa inclui o Bebelê, uma atividade voltada a bebês de 6 meses a crianças de […]

Por VEJASP Atualizado em 26 fev 2017, 21h42 - Publicado em 18 jun 2014, 20h54
0000

Contação no Villa-Lobos (Imagem: Divulgação)

Não conhecia até então e achei muito legal o projeto Domingo nos Parques da Biblioteca de São Paulo. A instituição leva programações que estimulam a leitura para os Parques da Juventude e Villa-Lobos, sempre aos domingos.

Neste dia 22, o programa inclui o Bebelê, uma atividade voltada a bebês de 6 meses a crianças de 3 anos, que estimula os primeiros contatos com os livros e que acontece das 11h30 às 12h15, no Parque da Juventude. O acervo de livros voltados para a primeiríssima infância é levado em baús e ficam à disposição dos pequenos “leitores”. Monitores tratam de apresentar o material e facilitar o manuseio.

11111

Atividades que estimulam a leitura no Parque da Juventude (Imagem: Divulgação)

Já a partir das 12h30, o local é palco de contações de histórias, agora para os maiores, até às 15h30. As atividades acontecem em tendas instaladas no parque, ao lado do prédio da biblioteca. Tapumes de EVA e pufes tratam de deixar o público mais confortável para ouvir as narrativas.

No Villa Lobos, o clima é de “esquenta” enquanto o novíssimo prédio da Biblioteca de São Paulo ainda não é inaugurado (a previsão é que o espaço, que contará com uma “bebeteca” e uma “gibiteca”, seja aberto ao público até o fim do ano).

Uma verdadeira maratona de contações acontece das 9h às 17h, conduzida pela dupla Lili Flor e Paulo Pixu, que se reveza e utiliza instrumentos de apoio, como violão. Além deles, monitores da biblioteca intermediam a interação do público infantil com o acervo de livros disponibilizado em baús. No parque da zona Oeste, as tendas são instaladas ao lado do orquidário Ruth Cardoso.

Continua após a publicidade
Publicidade