Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Arte ao Redor Tatiane de Assis é repórter da Veja SP. Acredita que as artes visuais podem aproximar pessoas e descortinar novas facetas da vida.

Fotografia, colagem ou pintura? Conheça o trabalho de Marcelo Tinoco

Artista detalha seu processo de produção ao falar de uma obra específica: Sevilhana em Seu Quintal (2020)

Por Tatiane de Assis Atualizado em 27 mar 2020, 11h57 - Publicado em 27 mar 2020, 06h00

Hibridismo A partir de fotos que tira em viagens, o paulistano Marcelo Tinoco começa a produção de suas obras. para a elaboração de uma composição, ele utiliza pincéis personalizados, desenvolvidos com a ajuda de softwares. são eles que permitem a construção de pinturas no computador, impressas em papel de algodão.

Lembranças Espanholas A personagem central deste trabalho foi inspirada na representação de uma mulher vista em um quadro do pintor Diogo López García (1875-1969), no Museu de Belas Artes de Sevilha, na Espanha. “Gostei da expressão dela, mas queria tirá-la do pátio escuro onde ela estava originalmente”, explica o artista.

Um outro lugar Alhambra, em Granada, na Espanha, empresta suas construções e espécies vegetais ao cenário do quadro de Tinoco. o ponto de vista do complexo palaciano escolhido pelo artista é semelhante àquele que os visitantes veem do Mirador de San Nicolás, no bairro de Albaicín.

Ao som de Cazuza Sevilhana em Seu Quintal (acima; 2020) pertence a uma série chamada Museu de Novidades. o título vem tanto da reciclagem de personagens e paisagens quanto da música O Tempo Não Para, eternizada na voz de Cazuza.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade