Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês
Arte ao Redor Tatiane de Assis é repórter da Veja SP. Acredita que as artes visuais podem aproximar pessoas e descortinar novas facetas da vida.

São Paulo vai ganhar mirante retrátil no centro da cidade

Projeto é inspirado no Skydeck de Chicago, um dos principais pontos turísticos da metrópole norte-americana

Por Tatiane de Assis Atualizado em 23 fev 2021, 16h03 - Publicado em 18 fev 2021, 18h08

Em sintonia com seu nome, o prédio Mirante do Vale, aos pés do Viaduto da Santa Ifigênia, vai ganhar dois mirantes retráteis, que vão fazer os visitantes terem a sensação de flutuar sobre a paisagem paulistana. As estruturas de vidro serão parte de uma nova opção de lazer na cidade, chamada Sampa Sky. As obras do empreendimento, que não alterará a fachada da construção, será finalizada até a segunda quinzena de abril. Contudo, não há ainda uma data para inauguração.

O Sampa Sky tem à frente o publicitário Alessandro Martinelli. Há previsão de entrada de outros dois ou três sócios na empreitada, mas os nomes não foram ainda divulgados. O projeto ocupa todo o quadragésimo segundo andar do Mirante, com área total de 700 metros quadrados, abarcando tanto a face que tem vista para o Anhangabaú, quanto a face que mira a Zona Leste de São Paulo. A ideia é que a entrada nos decks retráteis seja cobrada, entretanto haverá também no local um café, com entrada gratuita. Em contexto pandêmico, a lotação prevista para o Sampa Sky é de menos de 50 pessoas.

Em tempo: o futuro mirante paulistano se inspira no Sky Deck Chicago, um dos passeios mais disputados da cidade americana. Ele está localizado no centésimo terceiro andar do Willis Tower, terceiro prédio mais alto da América do Norte. Possui as já referidas estruturas, com vidros em todas faces, dando a sensação de estar levitando sobre a cidade.

  •  

    Continua após a publicidade
    Publicidade