Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês
Arte ao Redor Tatiane de Assis é repórter da Veja SP. Acredita que as artes visuais podem aproximar pessoas e descortinar novas facetas da vida.

‘Miragem’, na Galeria Pilar: entre o exato e o lúdico

Artista Rodolfo Borbel Pitarello dribla a geometria em obras em que os limites parecem mas não são certeiros

Por Tatiane de Assis Atualizado em 25 nov 2021, 15h44 - Publicado em 26 nov 2021, 06h00

Em Miragem, na galeria Pilar, Rodolfo Borbel Pitarello reúne dezoito pinturas, como Cruzul — Esculturas de Lama (2021). Nas obras, ele deixa a tinta sintética de lado para utilizar a têmpera, emulsão formada a partir da gema do ovo e pigmentos naturais, largamente utilizada na antiguidade e na arte italiana dos séculos XIV e XV.

Imagem mostra pintura com fundo rosa e elementos em formato de cilindro ou cone, brancos e esverdeados, pintados sobre o fundo.
Cruzul — Esculturas de Lama (2021): repetição e certa melancolia Adriana Moreno/Divulgação

Essa escolha, de acordo com a também artista Julia Cavazzini, que assina o texto crítico, pode ser mais bem compreendida a partir do desejo pela “transparência, toque e temporalidade de uma matéria viva”.

Também vale assinalar que, no conjunto, Pitarello alcança paragens muito distintas desde uma base comum: uma grade geométrica, na qual entrelaça figuras.

A partir dessa estrutura, o autor atinge diferentes diálogos. Pode chegar tanto a uma composição lúdica, que parece conversar de uma forma singular com obras da paulista Sandra Cinto, como há uma conversa com o bordado, a partir de linhas hesitantes, que trazem à mente o vai e vem da agulha e, lógico, a obra do cearense Leonilson (1957-1993).

É importante ainda pontuar que a geometria não engole o artista, ele a maneja, com destreza e uma certa dramaticidade. Em Golpe (2021; capa), que de perto não tem nada de certeiro, vemos o gesto repetitivo e paciente na construção dos retângulos, que flertam com a tecelagem e têm um quê de melancolia na sobreposição de camadas.

Galeria Pilar. Rua Barão de Tatuí, 377, Santa Cecília, 98423-4005. Terça a sexta, 11h às 18h; sábado 11h às 16h. Grátis. → No sábado, as visitas devem ser agendadas por telefone. Até 4 de dezembro.

Continua após a publicidade

Publicidade