Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Arte ao Redor Tatiane de Assis é repórter da Veja SP. Acredita que as artes visuais podem aproximar pessoas e descortinar novas facetas da vida.

Germana Monte-Mór tem nova exposição na Galeria Estação

Trabalhos foram pintados com tinta óleo e uma solução com asfalto diluído

Por Tatiane de Assis Atualizado em 19 set 2020, 10h07 - Publicado em 18 set 2020, 21h16

A artista Germana Monte-Mór apresenta 21 pinturas na Galeria Estação. A exposição on-line entra em cartaz na plataforma Artsy, do dia 23 até o dia 27. “Anteriormente, as formas que eu criava eram acompanhadas de sombras, que eu fazia na própria pintura. Agora, utilizo duas telas sobrepostas e essas sombras surgem em uma das camadas, de forma concreta no trabalho”, explica a carioca.

Outro aspecto importante do trabalho de Germana é a forma com que ela usa as cores. “São dois tons, pá, pum, você não demora para percebê-los”, detalha. Para além disso, esse jeito meio seco possibilita o uso das cores em uma investigação sobre a ocupação do espaço, que nesse caso é a tela.

Em uma delas da série Nascido (2020), a cor branca avança em quatro grandes blocos, enquanto um tom parecido com cáqui, com nuances, ocupa as fendas laterais e centrais. Se você se concentra no primeiro grupo de elementos, a composição parece uma. Se você se concentra no segundo grupo, a composição parece outra. Não se trata de um modificação radical, é algo mais sutil, que parece transformar o trabalho por meio de um movimento, que depende dos olhos e dos tons, e não de qualquer remexido físico.

Vista geral do segundo piso da Galeria Estação: exposição de Germana Monte-Mor
Vista geral do segundo piso da Galeria Estação: exposição de Germana Monte-Mor Divulgação/Divulgação

Germana utilizou nas pinturas apresentadas tinta a óleo e uma solução diluída de asfalto. Na verdade, usamos genericamente esse tempo quando falamos da pavimentação das ruas, ele se refere de forma mais específica a uma substância derivada do petróleo. “Ela tem uma cor café, quase preto. Diluindo ele em solventes, como tremembentina, encontra-se subtons, dos quais tiro partido”, conclui a artista.

Obrigada pela visita! Volte sempre e deixe seu comentário. Aproveite para conferir minhas postagens no Instagram.

 

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade