Clique e assine por apenas 6,90/mês
Blog do Lorençato Por Arnaldo Lorençato O editor sênior Arnaldo Lorençato é crítico de restaurantes há 28 anos. De 1992 para cá, fez mais de 15 000 avaliações. Também é autor do Cozinha do Lorençato, um podcast de gastronomia, e do Lorençato em Casa, programa de receitas em vídeo. O jornalista leciona na Universidade Presbiteriana Mackenzie

Grupo Le Vin paulistano é vendido por quase 16 milhões de reais

A restauratrice Nancy Mattos concretizou o negócio que envolve quatros restaurantes, um deles em Brasília, e uma confeitaria

Por Arnaldo Lorençato - Atualizado em 22 jul 2018, 09h48 - Publicado em 9 Maio 2018, 19h39

A restauratrice Nancy Mattos e suas filhas Patricia e Vivian acabam de passar adiante o comando do Grupo Le Vin paulistano, conhecido pela culinária clássica francesa e as mesas cobertas por toalhas xadrez azul e branca.

Composto por três restaurantes em São Paulo, uma unidade em Brasília mais uma confeitaria na capital paulista, o Le Vin torna-se agora mais uma empresa de Jailson Martins de Almeida, presidente do Colleman Group, holding que tem negócios em áreas como construção, mineração e saúde.

Para ficar com o Le Vin, o desembolso dos novos donos quase encosta em 16 milhões de reais e foi feito em negócio que teria sido conduzido por Marcio Tolentino, diretor de fusões e aquisições na The Colleman Group. Desse montante, a antiga proprietária dos bistrôs e seus sócios ficarão com 2,5 milhões. O restante corresponde a dívidas acumuladas pela rede de restaurantes. Conversei com Nancy que adiantou apenas que continuará cuidando da operação das casas. “Tenho um contrato de confidencialidade e não posso falar nada por enquanto”, afirma.

O site da The Colleman Group informa que a holding é proprietária da rede de lanchonetes P.J. Clarke’s, que tinha quatro unidades, duas em São Paulo e duas no Rio. As hamburguerias de matriz nova-iorquina, que chegaram no Brasil em 2008 e  foram adquiridas em 2016. Embora fosse especializada em um tipo de sanduíche popular em todo o país, as casas cariocas foram fechadas no ano passado e a última que restava na capital paulista, no bairro do Itaim, foi desativada no mês passado.

A assessora de comunicação do Colleman Group, Maria Priscila L. Caires,  garante que “não foi encerrada a operação no Brasil. Apenas está passando por alterações significativas para melhorias, sob nova administração, com projeto de abertura de novas unidades, todas alinhadas, com previsão inicial de inaugurações a partir do segundo semestre de 2018, incluindo em shoppings centers, dentro e fora de São Paulo”. As datas dessa possível expansão ainda não foram definidas, bem como não se cumpriram as estimativas de investir de 15 a 20 milhões de reais na abertura de novas unidades do P J Clarke’s, no ano passado, como divulgou a diretoria de operações da holding.

Ainda no ramo alimentício, a Colleman Group tem seu portfólio a marca Pastitex, especializada em massas frescas. Além de atendimento a restaurantes industriais, também é conhecida do público que frequenta as gôndolas de supermercados, produzindo para terceiros, donos das marcas Frescarini, Select e Assai.

Barroso: continua à frente dos endereços no Rio de Janeiro Divulgação/Divulgação

As unidades cariocas do Le Vin nada têm a ver com essa transação. Seguem sob a administração de Francisco Barroso, ex-marido de Nancy. São dois bistrôs de sucesso, um em Ipanema e outro no BarraShopping, mais três confeitarias – BarraShopping, Village Mall e Forum Ipanema.

Obrigado pela visita. Aproveite para deixar seu comentário, sempre bem-vindo, e curtir a minha página no Facebook. Também é possível receber as novidades pelo Twitter e seguir minhas postagens no Instagram.

Continua após a publicidade
Publicidade