Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Outro cachorro morre em voo da Latam e companhia suspende transporte de pets

Animal morreu por asfixia após roer embalagem; empresa afirma que cumpriu os procedimentos de "forma correta" mas suspendeu a opção temporariamente

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 18 out 2021, 21h22 - Publicado em 18 out 2021, 21h15

Um cachorro da raça american bully morreu durante um transporte aéreo realizado pela Latam, em um voo que ia do Aeroporto de Guarulhos para Aracaju. O caso ocorreu na quinta-feira (14) e foi compartilhado nas redes sociais da nutricionista Giulia Conte, que é irmã da dona do cachorro.

O laudo veterinário mostrou que o cão morreu por asfixia, após roer parte da caixa que era transportado. A empresa diz que seguiu todos os procedimentos requiridos para o transporte de animais. Depois do caso, a Latam informou que suspendeu por 30 dias a venda do transporte de pets no porão dos aviões no Brasil. “O cliente que já adquiriu o serviço em questão poderá seguir com o transporte de forma regular, postergar sem custo ou então optar pelo reembolso em nossos canais de atendimento”, diz a nota da empresa.

No Instagram, Giulia Conte acusou a Latam de negligência, afirmando que era mais “um caso de morte de animal” causado pela empresa.

No dia 14 de setembro um filhote de golden retrivier morreu horas depois de chegar de avião do trecho São Paulo – Rio de Janeiro, ocasião em que a empresa também afirmou que seguiu todos os procedimentos de “aceitação e transporte do pet, que atendem rigorosamente aos regulamentos de autoridades nacionais e internacionais”.

Em nota, a empresa diz que está “consternada com o ocorrido ao cão da raça american bully”. A empresa afirmou que o laudo emitido pela clínica veterinária constatou que ele roeu o “kennel de madeira em que estava e se asfixiou”.

“A LATAM já vinha fazendo uma análise profunda de todos os procedimentos deste tipo de transporte, e neste lamentável evento cumpriu todos os processos de forma correta. Diante deste cenário, a empresa decidiu neste momento suspender a venda para o transporte de PETS no porão das aeronaves nos 30 próximos dias para o mercado brasileiro”, diz a nota.

Continua após a publicidade

Confira o posicionamento completo da empresa sobre o caso:

A LATAM Airlines Brasil está consternada com o ocorrido ao cão da raça American Bully, o Weiser, transportado na tarde de 14 de outubro de 2021, entre o aeroporto de Guarulhos – São Paulo para o aeroporto de Aracaju – Sergipe e que chegou ao destino em óbito.

Em laudo emitido pela clínica veterinária que atendeu o Weiser, foi observado que ele roeu o kennel de madeira em que estava e se asfixiou. O Kennel estava em concordância com o processo de transporte de animais e de grande porte da LATAM.

A LATAM já vinha fazendo uma análise profunda de todos os procedimentos deste tipo de transporte, e neste lamentável evento cumpriu todos os processos de forma correta. Diante deste cenário, a empresa decidiu neste momento suspender a venda para o transporte de PETS no porão das aeronaves nos 30 próximos dias para o mercado brasileiro. O cliente que já adquiriu o serviço em questão poderá seguir com o transporte de forma regular, postergar sem custo ou então optar pelo reembolso em nossos canais de atendimento.

A Latam está acompanhando o caso e segue à disposição para prestar toda a assistência aos tutores do cão.”

Continua após a publicidade

Publicidade