O Jantar – Oren Moverman

Tipos de Gêneros dramáticos: Drama, Suspense
VejaSP
starsstarsstarsstarsstars

Resenha por Tiago Faria

No menu degustação servido aos personagens de O Jantar, os pratos têm nomes pomposos e ingredientes caros. Para o espectador, há outro destaque neste cardápio: as ácidas indiretas trocadas entre atores que parecem se divertir interpretando casais elegantes e, na intimidade, amorais. Embora guiado por um romance escrito pelo holandês Herman Koch, o diretor israelense Oren Moverman (de O Encontro) mira o teatro. Na condução de flashback, se mostra pouco confortável. Mas ele se solta ao flagrar, em encenação intimista, o “climão” entre o político Stan Lohman (papel de Richard Gere) e o irmão mais novo dele, o ranzinza Paul (Steve Coogan). Segredos familiares virão à tona, é claro, numa narrativa pontuada pelas etapas da comilança. Lá por volta da sobremesa, o roteiro se revelará menos consistente do que se imaginava. Estreou em 7/9/2017.

    info
  • Direção: Oren Moverman
  • Duração: 120 minutos
  • Recomendação: 16 anos
  • País: EUA
  • Ano: 2017
Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Laura Linney e Richard Gere, a dupla de protagonistas do sensacional suspense A Última Profecia, é reunida 15 anos depois neste drama pretensioso e arrastadíssimo, que só tem como mérito o forte dilema moral que é o centro da trama e que só ganha algum pique no final. De resto, um filme tão pomposo e indigesto como é o jantar para os dois casais.