Ismael Nery: Feminino e Masculino

VejaSP
starsstarsstarsstarsstars

Resenha por Tatiane de Assis

Ismael Nery: Feminino e Masculino, em cartaz no MAM, traz mais de 200 obras do paraense, morto em 1934, com apenas 33 anos, figura singular do modernismo brasileiro. Enquanto seus contemporâneos Tarsila do Amaral (1886-1973) e Oswald de Andrade (1890-1954), por exemplo, investigavam a identidade nacional, ele preferia pintar a si mesmo e sua amada — vide Autorretrato com Adalgisa (abaixo, à esq., sem data). outro aspecto importante é a pesquisa simultânea de movimentos como o expressionismo e o cubismo. “Quando ele adere ao surrealismo, nota-se um exercício muito grande de explorações anatômicas, com uma boa dose de violência simbólica e muitos órgãos expostos”, afirma o curador paulo sergio Duarte. A influência do surrealista André Breton (1896-1966) e companhia pode ser vista em Composição Surrealista (abaixo, à dir., 1928). Até 12 de agosto.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s