Frida Kahlo — Viva la Vida

Tipos de Gêneros dramáticos: Monólogo
VejaSP
starsstarsstarsstarsstars

Resenha por Dirceu Alves Jr.

O autor do monólogo Frida Kahlo — Viva la Vida, o mexicano Humberto Robles, é o mesmo de Nem Princesas, Nem Escravas, comédia lançada pelo Teatro do Ornitorrinco no ano passado sem nenhum brilho. Desta vez, o resultado é bem-­sucedido, principalmente pela performance de Christiane Tricerri. A atriz representa a artista plástica (1907-1954) na reta final de sua biografia e ainda oprimida pelos homens célebres que a rodearam, entre eles o pintor Diego Rivera (1886-1957) e o escritor André Breton (1896-1966). No Dia dos Mortos, Frida cozinha para uma festa enquanto espera pelos convidados, alguns falecidos, como o revolucionário Leon Trótski (1879-1940). Dirigida por Cacá Rosset, a peça revela a insegurança da pintora diante das cobranças para se adaptar aos modelos impostos pelo circuito intelectual de Paris e Nova York. Christiane, sensível, equilibra melancolia e revolta, levando a personagem a uma trilha em que a alucinação serve de alívio ao sofrimento (60min). 14 anos. Até 14/12/2019.

    info
  • Direção: Cacá Rosset
  • Duração: 60 minutos
  • Recomendação: 14 anos
Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s