Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Educação

VejaSP:
  • Direção: Lone Scherfig
  • Duração: 95 minutos
  • Recomendação: 14 anos
  • País: Reino Unido
  • Ano: 2009

Resenha por Miguel Barbieri Jr

Trata-se do primeiro
roteiro escrito originalmente para o cinema
do badalado Nick Hornby. Não à toa, o autor inglês de Alta Fidelidade recebeu uma indicação ao
Oscar. O drama ainda esteve no páreo pelos prêmios
de melhor filme e melhor atriz — um fulgurante
desempenho da revelação Carey Mulligan.
Diretora dinamarquesa da comédia Italiano para
Principiantes (2000), Lone Scherfig toca aqui
num assunto raro no cinema de hoje: o comportamento
da mulher nos anos 60. É no comecinho
daquela década que a espevitada Jenny (Carey)
pensa nos estudos querendo graduar-se professora
em Oxford. Suas curiosidades em relação ao
mundo, porém, acabam levando-a a outra direção.
Fã de tudo o que se refere à moda e à cultura
francesa, essa jovem londrina de 16 anos passa a
ser cortejada por David (Peter Sarsgaard), um homem
mais velho e de trabalho escuso. O namoro
progride com o consentimento dos pais de Jenny
(papéis de Alfred Molina e Cara Seymour) e sob
os olhares atentos dos amigos ricaços de David,
interpretados por Dominic Cooper e Rosamund
Pike. Seja na saborosa recriação de época, seja nos
conflitos pessoais de outrora tão bem captados
pela realizadora, a fita transpira autenticidade — o
roteirista se baseou em relatos autobiográficos da
jornalista britânica Lynn Barber. Na formidável
trilha sonora, canções de Juliette Greco. Estreou em 19/2/2010.