Ariana Grande

Resenha por Juliene Moretti

Lançada em programas infanto juvenis da TV americana, a cantora Ariana Grande esteve no Brasil em 2015 com The Honeymoon Tour, cheia de coreografias e roupas provocantes mas ainda com resquícios de meninice. Aos 23 anos (completa 24 nesta semana), assumiu de vez o papel de mulher fatal com o disco Dangerous Woman, de 2016. De voz poderosa com registro de soprano, ela traz o show de pop intenso com pegada R&B — influenciada especialmente por parcerias com cantoras como Iggy Azalea e Nicki Minaj — e letras picantes, caso de Everyday e Side to Side. Em maio, a moça viu-se no centro das atenções quando, no fim de uma apresentação em Manchester, na Inglaterra, um atentado terrorista matou 22 pessoas. Por aqui, nada de notícias tristes: a turma deve dançar ao som de Bad Decisions, Problem e Bang Bang. Dia 1º/7/2017.

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Para curtir o melhor de São Paulo!
Receba VEJA e VEJA SP impressas e tenha acesso digital a todos os títulos Abril.
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.