Imigração gastronômica

Volta ao mundo pelos bares de São Paulo: neozelandês

Único bar do gênero na cidade, Kia Ora tem cerveja australiana e shows de pop rock

Por: Sophia Braun - Atualizado em

Kia Ora - volta ao mundo - neozelandês
O bar-balada Kia Ora: decoração inspirada na Nova Zelândia e na Austrália (Foto: Divulgação)

Inaugurado em 2004, o bar-balada Kia Ora segue filho único na categoria dos neozelandeses. Com decoração inspirada também na Austrália, agita as noites de terça a sábado com apresentações de bandas pop rock.

+ Conheça bares inspirados nos pubs britânicos e irlandeses

+ Restaurantes com variedade de cerveja, saquê, uísque e até pisco

O cardápio contempla pedidas tradicionais da região, muito influenciada pela culinária do Reino Unido. A seleção de comes inclui as torradinhas lambuzadas com Vegemite (pasta feita de extrato de levedura) e cobertas por queijo derretido (8,00 reais). O clássico fish and chips (18,00 reais) é composto de filés de pescada-branca empanados mais batatas fritas e molho tártaro.

Para matar a sede, máquinas sobre o balcão expedem oito rótulos de chope, a exemplo dos importados Old Speckled Hen, Newcastle Brown Ale e Guinness. A seleção de cervejas traz ainda três marcas australianas: Coopers (13,00 reais), Tooheys New (11,50 reais) e James Boag (16,00 reais). Oferece boa carta de uísques.

  • Bar-balada

    Kia Ora

    Rua Doutor Eduardo de Souza Aranha, 377, Itaim Bibi

    Tel: (11) 3846 8300

    VejaSP
    3 avaliações

    A casa se define como um pub de inspiração australiana e neozelandesa. Isso significa que o ambiente escurinho de seus similares britânicos dá lugar a um amplo galpão, em que um mezanino se debruça sobre o palco, onde rolam shows de pop rock. A música ao vivo serve de pretexto para a paquera. Na seleção de cervejas na pressão, encontra-se a inglesa Old Speckled Hen (R$ 25,00 o pint). Boa companheira dos copos, a porção de fritas com casca vem apimentadinha junto de creme azedo (R$ 20,00).

    Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Saiba mais

Fonte: VEJA SÃO PAULO