Roteiro

Passeios para ficar em paz na cidade

Dez lugares onde é possível aliviar o estresse e passar um tempo em silêncio

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Para fugir do estresse e da correria do dia a dia, fomos atrás de refúgios em São Paulo que oferecem ao visitante um ambiente tranquilo, ideal para ficar um tempo em paz. Estão entre as opções uma leitura na agradável Biblioteca de São Paulo, localizado no Parque da Juventude, ou um passeio pelo Templo Budista Zu Lai.

+ 7 passeios imperdíveis para curtir sozinho

Atividades ao ar livre também compõem o roteiro, como o orquidário do Parque Villa-Lobos e o Borboletário Águias da Serra. Para quem curte arte, mas não pretende encarar longas filas, o Museu de Arte Sacra e a Fundação Maria Luisa e Oscar Americano, que tem chá da tarde e comidinhas, são boas pedidas.

+ Sete dicas para tornar sua vida mais fácil em São Paulo

Confira nossa seleção:

Biblioteca de São Paulo

Biblioteca de São Paulo
Narração de histórias: a atividade ocorre às sextas, aos sábados e domingos (Foto: Divulgação)

Boa dica para quem quiser relaxar em um ambiente sem muita agitação, a Biblioteca de São Paulo oferece várias opções de literatura e também atividades educativas para que as crianças se mantenham entretidas. O primeiro andar, dedicado a livros infanto-juvenis, é tomado por pufes e mesas coloridas ocupadas pelo público mais jovem. Pelo site, é possível conferir a programação cultural, com vários horários dedicados à criançada. Há opções de brincadeiras que estimulam a capacidade sensorial e memória, outras que exploram as artes plásticas e até brincadeiras para bebês de 6 meses a 3 anos de idade. Não deixe de conferir o Parque da Juventude, que divide o terreno com a biblioteca.

Borboletário Àguas da Serra

borboletário águias da serra
Borboletário Águias da Serra: parque inaugurado em fevereiro (Foto: Divulgação)

Sediado no bairro Engenheiro Marsilac, no extremo da Zona sul, a 50 quilômetros do centro da capital, o estabelecimento é um ponto de paz do caos urbano de São Paulo. Para chegar lá, é preciso ter paciência para cerca de uma hora e meia de viagem até o local. Aberto há cerca de um ano, o espaço é uma espécie de zoológico especializado em borboletas - para a alegria da criançada. São aproximadamente 2 000 exemplares e treze espécies. Por lá, dá para acompanhar a produção e a transformação das borboletas. Uma das melhores partes do passeio é a entrada em um jardim fechado, onde o público pode entrar em contato com as espécies coloridas. Há a opção de lambuzar os dedos com suco de laranja e observar as espécies se aproximarem do visitante. Localizado dentro do acampamento Águias da Serra, que foi ambiente das gravações do filme da telenovela Carrossel, do SBT, o espaço conta também com restaurante, fazendinha, caiaque, pesca e uma animadíssima oficina de foguetes. Há a opção de realizar festas de aniversário no local (preços sob consulta). A entrada custa 29 reais. 

Centro de Meditação Kadampa Mahabodhi

Centro de Meditação Kadampa Mahabodhi
O centro oferece aulas gratuitas de meditação às quartas e sextas (Foto: Divulgação)

Se você procura um lugar para meditar, pode apostar nesse centro. Fundado em outubro de 1993 por Geshe Kelsang Gyatso, o local oferece três programas de Estudo da Nova Tradição Kadampa, além de organizar retiros e aulas diárias de meditação. Todo domingo, há visitas guiadas, das 16h às 16h30 para quem deseja aprender mais sobre o significado dos símbolos budistas. O custo das aulas é de 20 reais. Uma vez por mês, o centro fomenta atividades com crianças e seus responsáveis. Aos domingos, às 15h, também há uma prece pela paz mundial aberta ao público. 

Fundação Maria Luisa e Oscar Americano

Fundação Maria Luisa e Oscar Americano - abre
Fundação Maria Luisa e Oscar Americano: saída para quem gosta de sossego (Foto: Divulgação)

É conhecida por ser a antiga residência da família Oscar Americano. A fundação é dona de importante coleção de artefatos relacionados à história do Brasil. São três núcleos principais — Brasil Colônia, Brasil Império e Mestres do Século 20 —, que juntas propiciam uma espécie de tour pelas raízes nacionais. O acervo é formado por pinturas que datam desde o século XVII, além de mobiliário, prataria, porcelana, tapeçaria e arte sacra do século XVIII. As obras estão rodeadas por um parque de mais de 75 000 metros quadrados, composto de árvores que variam do pau-brasil ao pé de café. Para os visitantes que também valorizam o paladar, há a opção de ficar para o brunch, que custa 72 reais, e o chá da tarde, que sai por 62 reais. A dica é visitar o lugar aos sábados, quando a entrada é gratuita. Nos demais dias, o ingresso é vendido por 10 reais. 

Jardim Botânico

Jardim Botânico São Paulo
Estufas do Jardim Botânico: toda a matéria-prima veio da Europa (Foto: Divulgação)

Para quem busca relaxar, esse passeio é uma ótima opção. Localizado na zona sul da cidade, o parque conta com 360 000 metros quadrados e é composto de vegetação remanescente de Mata Atlântica e nascentes do histórico Riacho do Ipiranga. Aos amantes da natureza, ainda é disponibilizada uma trilha para conhecer uma das nascentes. Vale a pena ver exposição rotativa na Alameda Fernando Costa, que trata de biodiversidade. A última parada é o Museu Botânico, que mostra a história de plantas brasileiras e algumas curiosidades, como algas usadas na fabricação de balas e xampus. O Jardim de Lineu também costuma fazer sucesso entre os visitantes, que têm a oportunidade de apreciar duas estufas ao fundo que reproduzem vegetações de regiões do país. Há ainda o Jardim dos Sentidos, túnel de bambu e Lago das Ninfeias. É possível agendar visitas guiadas a partir de dez pessoas.  

Mosteiro de São Bento

Mosteiro de São Bento
Mosteiro de São Bento elena  (Foto: Elena Vettorazzo)

O lugar ganhou mais holofotes depois de ter hospedado o papa Bento XVI em 2007, quando ele passou pelo Brasil para uma visita. O monastério está integrado à Basílica, onde são realizadas missas diariamente. A mais famosa elas ocorre, é claro, aos domingos, às 10h. Para dar mais vida à cerimônia, um coral de canto gregoriano cuida do repertório, que conta com a potência de um órgnao de 7 000 tubos. Não precisa ter medo de passar fome durante a visita: o local possui uma padaria com pães e doces preparados por um grupo de monges. A cada último domingo do mês, o local oferece um brunch completo aos visitantes. 

Museu de Arte Sacra

museu da arte sacra
Museu da Arte Sacra: trabalhos de arte na exposição permanente (Foto: Jonas Chun)

A instalação do museu data de 28 de junho de 1970, quando começou a ocupar a ala esquerda térrea do Mosteiro de Nossa Senhora da Imaculada Conceição da Luz e a antiga Casa do Capelão. Das 18 000 peças do museu, apenas 10% ganham espaço para ser exibidas aos visitantes. Os artigos se dividem em esculturas, pinturas, lumismática e mobiliário. O espaço conta com o famoso conjunto napolitano do século XVIII, doado pelo industrial e colecionador Ciccillo Matarazzo (1899-1977). Com o intuito de formar um museu exclusivamente de presépios, Matarazzo trouxe a suntuosa montagem ao país após uma viagem à Europa em 1949. A mostra soma 1 600 peças e é considerada uma das maiores no mundo.

Orquidário Ruth Cardoso

Orquidário Ruth Cardoso
Entrada do Orquidário Ruth Cardoso (Foto: Elaine Cristina Mendes)

Localizado dentro do Parque Villa-Lobos, é um ótimo lugar para ficar em paz em meio ao caos da cidade. Com cerca de 16 000 vasos de espécies coletadas em todo o estado, a cúpula é uma homenagem à antropóloga Ruth Cardoso (1930-2008). O local funciona em uma cúpula esférica com dois níveis de altura, divididos por um arco de concreto. Também são oferecidas atividades aos interessados. Todo último domingo do mês, por exemplo, há um curso sobre orquídeas no espaço. A entrada é gratuita. 

Templo Budista Zu Lai

Templo Zu Lai
Vista do templo budista em Cotia, município vizinho a São Paulo (Foto: Anderson Santiago)

Considerado o maior templo budista da América Latina, o local, que foi inaugurado em 2003, é localizado em Cotia, cidade vizinha da capital. O local conta com uma área externa similar a um jardim de palácio oriental, salas de meditação, altar principal, estacionamento, café e restaurante. A intensa agenda cultural também é um atrativo aos visitantes. Seguindo a linha chinesa da crença, são oferecidas cerimônias e eventos todo o ano, assim como atividades e cursos pagos. As preferidas dos visitantes são a meditação, ioga e tai chi chuan. Detalhes sobre turmas e as cerimônias oficias que ocorrem no tempo podem ser vistos no site oficial. Todo o domingo, às 10h, acontecem cerimônias religiosas abertas ao público. Há também uma lojinha com lembraças e livros editados pelos próprios membros do templo. As refeições são vegetarianas. A entrada e o estacionamento são gratuitos. Entretanto, as visitas guiadas, indicadas grupos de mais de 15 pessoas, custam 5 reais por participante e devem ser agendadas pelo site.

Templo Messiânico - Solo Sagrado de Guarapiranga

Templo Messiânico
Templo Messiânico - Solo Sagrado de Guarapiranga (Foto: Templo Messiânico)

Protótipo do paraíso idealizado por Mokiti Okada (1882-1955), é composto por uma área de 327 500 metros quadrados. O templo é composto por três santuários. O Santuário do Deus Supremo (ao centro), conta com uma torre de 71 metros de altura, feita para captar energias cósmicas. À direita, localiza-se o Santuário Mokiti Okada, em homenagem ao fundador da Igreja Messiânica. O terceiro é o Santuário dos Antepassados. Por lá, a energia favorece aqueles que querem relaxar um pouco. Salpicado de pedras e embelezado por espelhos d'água, o ambiente também é decorado por inúmeras flores que formam lindos jardins coloridos por parte de sua extensão. Em frente à Lagoa de Guarapiranga fica o templo, uma construção enorme sustentada por 16 pilares de 18 metros de altura, adornada em forma de anel,  onde são realizadas as cerimônias da Igreja. A ideia é que os pilares representem todas as direções do mundo. Por isso, não há teto ou paredes. Para os interessados, há atividades em grupo como a horta caseira e o ikebana, onde são realizados arranjos florais. A entrada e o estacionamento são gratuitos. 

Fonte: VEJA SÃO PAULO