Comportamento

Ronaldo Barbuy: jiu-jítsu para nocautear o colesterol

Em um mês, o administrador abandonou o tabagismo e controlou o problema

Por: João Batista Jr.

Ronaldo Barbuy - Capa 2299
Ronaldo Barbuy: “Malhar foi uma das melhores decisões que tomei na vida” (Foto: Fernando Moraes)

O administrador Ronaldo Barbuy entornava várias cervejas nos fins de semana e fumava um maço de cigarros por dia. Um dia resolveu fazer um check-up e descobriu que sua taxa de colesterol estava fora de controle. “Acendeu o sinal amarelo”, lembra. Aos 39 anos e recém-separado, matriculou-se em aulas de jiu-jítsu na Academia Onodera, na Aclimação.

+ Academias paulistanas têm cerca de 30% de alunos acima de 40 anos

Rapidamente, pegou gosto pela coisa. Em um mês de exercícios, abandonou o tabagismo. Aos poucos, controlou também o colesterol. Hoje, aos 41 anos, Barbuy revela, orgulhoso, que sua taxa de gordura corporal baixou de 26% para 18% desde que deixou de lado o sedentarismo, o que o coloca na categoria acima da média entre os homens de sua idade. “Malhar foi uma das melhores decisões que tomei na vida”, afirma. 

Fonte: VEJA SÃO PAULO