Política

PSDB endossa atos do dia 15, mas Aécio diz que não participará

"Nossos companheiros estarão nas ruas, mas optei por não ir para não dar força a discurso de que estamos vivendo um terceiro turno", disse o senador

Por: Estadão Conteúdo

Aécio Neves
O senador Aécio Neves, do PSDB: partido vai apoiar manifestações anti-Dilma (Foto: Folhapress)

O PSDB oficializou nesta quarta-feira (11), apoio total da sigla às manifestações contra a presidente Dilma Rousseff (PT) marcadas para o próximo dia 15 em várias capitais e decidiu mobilizar seus dirigentes e militantes. No entanto o senador Aécio Neves, presidente do partido, anunciou que não participará dos protestos.

+ Protestos a favor do impeachment ocorrerão também fora do país

"Nossos companheiros estarão nas ruas do Brasil, mas eu optei por não ir para não dar força a esse discurso de que estamos vivendo um terceiro turno", disse Aécio.

A declaração foi feita depois de uma reunião da direção executiva do partido em Brasília. A estratégia já havia sido definida na semana retrasada em um almoço com os principais caciques tucanos em São Paulo na sede do Instituto Fernando Henrique Cardoso.

Questionado sobre o apoio à bandeira do impeachment da presidente Dilma, mote que norteia as manifestações, Aécio afirmou que a palavra não pode ser vetada.

"Não proibimos a palavra impeachment, mas essa não é nossa agenda neste momento". O senador ironizou a manifestação em defesa da presidente convocada para sexta-feira por entidades como CUT, UNE e MST. "É algo muito arriscado o governo convocar aliados para protestar. Quando Collor fez isso, assistimos àquele resultado".

Fonte: VEJA SÃO PAULO