Cidade

Professor é preso acusado de depredar agência bancária em manifestação

O caso aconteceu no mesmo dia em que uma concessionária foi destruída em Pinheiros durante ato do Movimento Passe Livre

Por: Redação VEJASAOPAULO.COM - Atualizado em

Um professor foi preso na manhã desta quinta-feira (24) acusado de participar da depredação de uma agência do Citibank na Avenida Rebouças em 19 de junho. No mesmo dia, adeptos da prática black bloc  destruíram uma concessionária de carros na Marginal Pinheiros. Os atos de vandalismo aconteceram durante uma manifestação do Movimento Passe Livre (MPL)  para comemorar um ano da redução da tarifa do transporte público.

+ MP denuncia mulheres acusadas de esquartejar motorista

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, o professor foi detido em sua casa na Zona Leste. Ele teve a prisão temporária decretada. De acordo com a polícia, o professor foi identificado com o auxílio de imagens de câmeras de segurança.

+ Cobrador é baleado perto do Shopping Villa-Lobos

Ele é o segundo suspeito preso. No dia 2 de julho, o mecânico João Antônio Alves de Roza foi detido em São Mateus, na Zona Leste. Com ele, que é funcionário de uma cooperativa de ônibus, a polícia encontrou a roupa utilizada durante a depredação dos veículos. Os policiais também apreenderam um computador.

+ Confira o que acontece agora na cidade

No dia do protesto, organizado pelo MPL, um grupo quebrou a agência bancária e invadiu a concessionária Catalbiano, na altura da ponte Eusébio Matoso, e atacou doze carros importados. Segundo a empresa, os prejuízos somaram 3 milhões de reais. Outras lojas de automóveis também foram alvo de ataques naquele dia.

Fonte: VEJA SÃO PAULO