PAULISTANA NOTA 10

Voluntárias auxiliam gestantes em hospital público da capital

Zuleika Mariani lidera 153 pessoas que cuidam de mães e bebês da entrada no hospital até o momento de alta

Por: Larissa Faria - Atualizado em

Paulistana Nota Dez Zuleika VOMAT
Auxiliamos as grávidas desde a internação até o momento da alta (Foto: Leo Martins)

Instalado na Zona Leste, o Hospital Maternidade Leonor Mendes de Barros tornou- se referência no atendimento de gestantes, principalmente aquelas em situação de alto risco. Muitas das pacientes da instituição pública do Belenzinho não têm condições financeiras nem para bancar o enxoval do bebê.

+ Curta o último fim de semana da mostra O Mundo de Tim Burton

A fim de ajudá-las em uma hora tão delicada, 153 voluntários atuam no local, munidos de atenção, carinho e paciência. "Auxiliamos as grávidas desde a internação até o momento da alta", conta Zuleika Mariani, de 61 anos, presidente do grupo, criado em 2001. A comerciante aposentada foi convencida pelo marido, o médico Corintio Mariani Neto, diretor da maternidade e idealizador do projeto, a assumir o posto. "No início, resisti", lembra. "Não achei que fosse capaz de dar conta do trabalho, pois nunca tive filhos."

+ 6 passeios para fazer no Dia dos Namorados sem gastar muito

Tranquila e de voz doce, ela logo virou expert em acalmar as pacientes. Nos últimos anos, sua equipe promoveu mudanças significativas na unidade de saúde. As integrantes organizam bingos e bazares com o objetivo de arrecadar dinheiro para kits de higiene para as m‹es e roupas e acessórios infantis, além de equipamentos de que os recém-nascidos eventualmente possam precisar, como inaladores.

+ Marcas promovem liquidações no mês de junho

As voluntárias com experiência em artesanato costuram tops de amamentação, toalhas, macacões e touquinhas. "Aprendemos com o tempo no que investir", explica Zuleika. "Quando vimos uma moça tomar banho calçando um par de botas, percebemos a necessidade de comprar chinelos, por exemplo."

+ Conheça a história dos casais que celebraram o noivado no Masp

Antes de essa equipe entrar em cena, os pais aguardavam a chegada dos filhos em uma sala sem conforto. Atualmente, o local de espera conta com televisão, café e biscoitos. A turma pintou ainda desenhos alegres nas paredespara criar um clima acolhedor e montou um cartório para registrar os bebês. A iniciativa reúne majoritariamente mulheres - a exceção são os quatro cabeleireiros, responsáveis por lavar, cortar e escovar os cabelos das mães que acabaram de ter alta, no espaço chamado de Cantinho da Beleza, idealizado para dar uma força à autoestima feminina."Hoje, não dá para imaginar o dia a dia do hospital sem esse auxílio", diz Mariani Neto.

Como ajudar: Vomat, ☎ 2292-4188, vomat@terra.com.br.

Fonte: VEJA SÃO PAULO