Shows

O Rappa faz única apresentação no Credicard Hall

Aplaudida na edição americana do Lollapalooza, a banda promete surpresas no palco

Por: Tiago Faria

O Rappa - Shows - 2288
Falcão no festival de Chicago: "Tocamos como se fosse a primeira vez" (Foto: Diego Matheus)

Em pouco menos de um mês, a banda carioca O Rappa passou por duas das experiências mais marcantes de sua trajetória. Em julho, lotou o Circo Voador, no Rio de Janeiro, para relembrar o disco “Lado B Lado A”, de 1999. Hits como “O que Sobrou do Céu" e "Me Deixa” foram berrados por 3.000 fãs.

No dia 3 de agosto, um público muito diferente compareceu à estreia do quarteto no festival Lollapalooza, em Chicago. Sob o sol da uma da tarde, no palco onde o Black Sabbath se exibiria horas depois, o grupo se apresentou para uma multidão que não conhecia sequer um refrão. “Tocamos como se fosse a primeira vez”, diz o vocalista, Falcão, de 39 anos. “E fizemos um show antológico.”

+ O Rappa é ovacionado pelo público no Lollapalooza

+ Falcão: “Entramos em uma máquina de rejuvenescer”

Com fôlego renovado, eles retornam à cidade para uma única noite no Credicard Hall. Não se espera um repertório muito diferente daquele executado no Lollapalooza brasileiro, em abril. O espetáculo que impressionou o idealizador do festival — o roqueiro Perry Farrell, do Jane’s Addiction, responsável por selecioná-los para Chicago — tem como base o CD e o DVD gravado ao vivo na Rocinha em 2009.

Mas Falcão, Xandão (guitarra), Lauro Farias (baixo) e Marcelo Lobato (bateria) prometem sucessos, como “Pescador de Ilusões”, e surpresas. Algumas delas devem surgir da fornada de canções escritas para o próximo disco de inéditas, previsto para 2013.

Há dois meses no estúdio, O Rappa resolveu as rusgas surgidas após o lançamento do sétimo álbum, “7 Vezes”, de 2008. À frente da plateia, onde se mostram novamente vibrantes, a transformação é notável. “A máquina de rejuvenescer é a amizade”, afirma o cantor.

Fonte: VEJA SÃO PAULO