espetáculo

Musical 'O Mágico de Oz' em temporada no Teatro Alfa

Montagem de Charles Möeller e Claudio Botelho está em São Paulo depois de sucesso no Rio

Por: Milena Emilião - Atualizado em

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Depois de estrear no Rio de Janeiro em junho de 2012, os reis dos musicais, Charles Möeller e Claudio Botelho, estão em São Paulo com o sucesso O Mágico de Oz.

Desde o dia 22 de fevereiro, o público paulistano pode ver quase o mesmo espetáculo que ficou em cartaz no Rio. O elenco tem pequenas alterações, sendo parte carioca (Lucio Mauro Filho, Nicola Lama, Luiz Carlos Miéle e Malu Rodrigues) e outra parte renovada: André Torquato e Heloisa Périssé, substituem Pierre Baitelli e Maria Clara Gueiros, respectivamente.

Na história, Dorothy Gale (Malu Rodrigues) vive um cotidiano pacato com seus tios em uma fazenda no Kansas. Após um tornado, ela e seu cachorro Totó vão parar em Oz, onde encontram o Espantalho (André Torquato, que fez Priscilla, Rainha do Deserto), o Homem de Lata (Nicola Lama, de O Violinista no Telhado) e o Leão Covarde (Lucio Mauro Filho, estreando nos musicais).

Para poder retornar para sua casa, Dorothy pede ajuda dos novos amigos e caminham pela Estrada de Tijolos Amarelos em busca do Mágico de Oz (Luiz Carlos Miéle). Segundo os engraçados pequenos moradores da cidadezinha encantada, o Mágico é o único que conseguirá ajudá-los.

A jornada em si poderia ser tranquila se, no caminho, não tivessem que enfrentar as vilanias da Bruxa Má do Oeste (Heloisa Périssé). Ela quer os sapatinhos de rubi que foram dados para Dorothy para ter mais poderes.

A montagem é baseada na única adaptação autorizada para o teatro, feita pela Royal Shakespeare Company, seguindo o roteiro do filme homônimo (estrelado por Judy Garland em 1939). Vencedor do Oscar de Melhor Trilha Sonora e Canção Original (o ainda sucesso Over the Rainbow), o filme é reconstituído em todas as cenas no palco.

Há uma novidade, porém: Miele, um precursor do teatro musical no Brasil, que interpreta o Mágico, originalmente não tinha uma canção no script. Diante da decepção do ator com a informação, os diretores entraram em contato com os proprietários dos direitos do espetáculo e escreveram uma música nova, especialmente para Miele.

Crianças e adultos se divertem nas três horas de espetáculo. Os pequenos fazem barulho quando a impagável Heloisa Périssé surge no palco e os mais velhos aplaudem principalmente às piadas de duplo sentido do Leão Covarde (que passam despercebidas pela molecada).

Os ingressos custam de R$ 40,00 a R$ 180,00 e estão à venda na internet e nas bilheterias do teatro.

+ Leia mais:

+ Em vídeo: os bastidores do musical

+ Um novo passeio no mundo de O Mágico de Oz

+ Os cachorros que encantam no musical

+ Ouça Malu Rodrigues cantando Além do Horizonte (Over the Rainbow)

+ Veja outras notícias sobre teatro

Fonte: VEJA SÃO PAULO