Passeios

Doze museus curiosos em São Paulo

De relógios e perfumes a lâmpadas e cenas de crime, conheça acervos excêntricos da cidade

Por: Anna Carolina Oliveira - Atualizado em

Museu da Lâmpada
Museu da Lâmpada: modelos de lâmpadas antigas (Foto: Eduardo Zocchi)

A réplica do ambiente de trabalho de Thomas Edison é apenas uma das atrações do Museu da Lâmpada, que reabriu as portas todo repaginado no início deste ano. Destaca-se no local o cinetoscópio, um instrumento de projeção interna de filmes muito utilizado pelo cientista norte-americano. Também é possível conhecer invenções deste estudioso.

Com uma coleção repleta de modelos originais e réplicas fiéis de lâmpadas (a mais antiga data 1900), o Museu da Lâmpada não é o único com acervo curioso da cidade. Outro exemplo é Museu do Óculos, instalado no bairro Bela Vista. Lá, os visitantes são apresentados à coleção particular de Miguel Gianni, fundador do local. São estilos e tendências como a coleção chinesa do século XVIII, com duas peças originais, e seus estojos de pele de peixe.

Na Cidade Universitária, mais um ponto de encontro para os curiosos. O Museu da Polícia Civil, mais conhecido como Museu do Crime, conta com uma coleção de aproximadamente 3.000 itens, entre fotografias, maquetes e objetos policiais e de crimes. Os corajosos podem ainda ler o relato de alguns casos famosos na capital, como o do Chico Picadinho. Como algumas imagens são impactantes, menores de 15 anos só podem entrar quando acompanhados por um responsável.

Espaço Perfume Arte + História
Espaço Perfume: história de aromas famosos e experiência sensorial no museu (Foto: Veja São Paulo)

Menos assustador, o Espaço Perfume Arte + História apresenta a história das fragâncias e aromas mais famosos do mundo por meio de um acervo de 500 peças. Além de conferir a exposição, os visitantes têm oportunidade de passar por uma experiência olfativa.

Destaca-se também o Museu da Voz, cujo acervo completo fica na própria casa do dono dos itens, o jornalista aposentado Luiz Ernesto Kawall. Aos sábados, ele exibe fitas cassetes, CDs, DVDs e discos de vinil na Praça Benedito Calixto, Zona Oeste. São cerca de 3.500 artigos, como músicas brasileiras antigas, poemas declamados por Carlos Drummond de Andrade, Vinicius de Moraes e outros, peças lidas como a obra Eles Não Usam Black-Tie, cantos de pássaros e mais.

Confira abaixo, mais mostras inusitadas:

Fonte: VEJA SÃO PAULO