Comportamento

Filmes de casamento ganham superproduções

Noivos investem em tecnologias dignas de Hollywood para as tradicionais filmagens de casamento

Por: Nathalia Zaccaro

Casamentos Hollywoodianos - ED. 46 - Equipe de Cavalcanti em ação
Equipe de Cavalcanti em ação: ilha de edição montada na igreja (Foto: Foto Studio)

Durante sua festa de casamento, realizada no último dia 1º num bufê em Moema, a dona de casa Deyse de Oliveira brindou com os amigos, se esbaldou na pista de dança e arremessou o buquê. Ela usava um longo vestido branco bordado, enquanto o homem ao seu lado trajava um colete preto acoplado a uma estrutura metálica dotada de braços articulados com molas e ligados a uma câmera digital. Responsável por esse equipamento, o cinegrafista Clayton Andrade captou as imagens com o efeito especial que faz takes em movimentos suaves como se estivesse flutuando pelo ambiente, criando no espectador a sensação de que se está vendo a cena com os próprios olhos. Enquanto Andrade gravava os acontecimentos, o noivo, Rui Pinheiro, ficava por perto, acompanhando tudo. Além de Clayton, outros onze profissionais da mesma produtora de vídeo desdobravam-se para preparar outras partes do filme. “Tinha de ser perfeito, já que é a única coisa que vou poder guardar desse dia tão especial”, explicou Deyse. “Por isso valeu o investimento.” Para realizar o sonho, o casal desembolsou quase R$ 60.000,00, o equivalente a 15% do custo total da comemoração. O escolhido para a missão especial foi Reynaldo Cavalcanti, dono da produtora Foto Studio Equipe, responsável pelas filmagens de cerimônias como a de Patrícia Abravanel, uma das herdeiras do SBT, em 2004. “Hoje, quase 10% dos clientes optam por superproduções em suas festas”, diz ele.

Casamentos Hollywoodianos - ED. 46 - Ludmila e Dênis
Ludmila e o marido, Dênis: cartoons para contar a história de como se conheceram (Foto: Foto Studio)

Para garantirem o resultado cinematográfico, as empresas do ramo adotaram um maquinário até pouco tempo atrás restrito aos sets de longas-metragens. Entre as opções agora disponíveis estão a grua, uma espécie de câmera voadora ligada a um pedestal de ferro, responsável pelas cenas aéreas, e a steadicam, acoplada ao tal colete usado pelo cinegrafista Clayton. Os preços para essas filmagens começam perto dos R$ 10.000,00 e podem chegar a cifras até dez vezes maiores. Para efeito de comparação, uma versão simples de vídeo custa perto de R$ 5.000,00. É um mercado e tanto, ainda mais em uma cidade como São Paulo, que deve registrar um total de 80.000 casamentos em 2012. “A estimativa é que essas cerimônias movimentem mais de R$ 1,5 bilhão”, estima Cristofer Mickenhagen, vice-presidente da Associação dos Profissionais, Serviços para Casamento e Eventos Sociais.

+ Assista a vídeos de casamentos que parecem produções de Hollywood

Casamentos Hollywoodianos - ED. 46 - O produtor Vinicius Credidio
O produtor Vinicius Credidio: clipes curtos que viraram febre (Foto: Fernando Moraes)

A profissionalização das filmagens se estende também à exibição do trabalho. Um dos recursos mais procurados é a transmissão instantânea. Poucas horas depois da cerimônia (ainda durante a festa), as imagens já podem ser exibidas em um telão. “Para isso, instalamos ilhas de edição móveis no local”, conta Cavalcanti. Os noivos mais ousados podem ainda alugar um helicóptero para registrar do alto a movimentação nos arredores da igreja e do salão. O luxo representa um acréscimo de R$ 20.000,00. “Outra febre são os vídeos compactos que enviamos pela internet”, diz Vinicius Credidio, dono da produtora que leva seu nome. Como a versão completa pode levar até quarenta dias para ficar pronta, as empresas passaram a vender clipes de até dez minutos, que são encaminhados por e-mail em duas semanas. Muitos clientes postam o material no Facebook. É possível também incrementar a produção com animações. Foi o que fez Ludmila Araújo, que se casou em setembro e, na ocasião, desembolsou R$ 30.000,00 pelo vídeo, que inclui a narração da história de como conheceu o marido. “Encomendei algumas cenas com cartoons para um roteiro que eu mesma escrevi”, relata. Há quem estenda a produção até a lua de mel. “Já acompanhei viagens a Las Vegas e Orlando”, afirma Cavalcanti. “Mas paro de filmar antes de o clima esquentar”, brinca ele.

 

  • TECNOLOGIA NO ALTAR

A parafernália usada hoje por empresas especializadas

 

GlideCam

O equipamento passeia pelo salão sem tremer e dá a sensação de se estar andando entre os convidados

Casamentos Hollywoodianos - ED. 46 - GlideCam
GlideCam que passeia pelo salão sem tremer (Foto: Fernando Moraes)

Volante

É o responsável pelas tomadas mais radicais dos filmes, que incluem rotações em 180 e 360 graus

Casamentos Hollywoodianos - ED. 46 - volante
Volante para as tomadas mais radicais (Foto: Fernando Moraes)

Grua

Trata-se de um braço articulado que permite gravações do alto e panorâmicas das festas. Há versões em miniatura (como a da foto)

Casamentos Hollywoodianos - ED. 46 - Grua
Grua para imagens aéreas (Foto: Fernando Moraes)

Slider

Adaptado a trilhos, permite que a câmera se mova lentamente para captar com emoção momentos chave, como a entrada da noiva na igreja, por exemplo

Casamentos Hollywoodianos - ED. 46 - Slider
Slider: fotografia sobre trilhos (Foto: Fernando Moraes)

Fonte: VEJA SÃO PAULO